Abertas as inscrições para o II Seminário de Arte e Restauro do Museu Capela de São Miguel

De 05 a 10 de outubro, o Museu Capela de São Miguel realizará o “II Seminário de Arte e Restauro: Pinturas Parietais da Capela de São Miguel Arcanjo, novas perspectivas”, com a participação de um corpo de pesquisadores, professores e restauradores que farão palestras on-line via Google Meet. Será disponibilizado certificado a todos os que participarem. Para se inscrever, basta acessar o site http://www.capeladesaomiguelarcanjo.org.

Esse é o segundo seminário de arte e restauro realizado na Capela. Em 2012, foi realizado o primeiro encontro, que teve a presença dos mais distintos membros da Academia e do restauro brasileiro, fato que acontecerá neste ano, novamente.

Com o restauro dos Elementos Artísticos da Capela de São Miguel, e que volta a colocar as pinturas parietais em evidência, o intuito do seminário é tratar das mesmas pinturas sob novas perspectivas.

Programação

05/06 – 19h00 – Tema: Da Itália a São Miguel: a viagem da pintura decorativa no reino de Portugal e o seu império durante o século XVIII, com o Prof. Dr. Carlos Javier Castro Brunetto.

Descrição: A pintura decorativa da capela de São Miguel Paulista -SP- não é apenas uma amostra da qualidade artística do Brasil em tempos coloniais, quanto a afirmação de cómo a pintura barroca viajou até esse espaço da América do Sul, desenvolvendo uma origem estabelecida na Itália nos primórdios desse século. De fato, a chegada de pintores italianos à corte do rei D. João V em Lisboa, e depois, de grandes pintores-decoradores estabelecidos no Porto, propiciou que o desenvolvimento artístico chegasse à colônia motivado por uma tentativa de valorizar os espaços sacros à moda cortesã (sendo que as cortes eram integradas por nobres e bispos). Sob essa perspectiva, entende-se o realçe da obra paulistana, manifestação do valor essencial da Fe, a Eucaristia, mas também do abastamento dos moradores da região, embora esse sentimento não ultrapassase a simples ficção do poder.

06/10 – 18h00 – Tema: Pinturas Murais da Capela de São Miguel: história, restauro e perspectivas, com o Conservador e Restaurador Julio Moraes.

Descrição: nesta apresentação faremos uma descrição do histórico das pinturas murais da Capela de São Miguel, conforme  foi possível resgatá-lo pelo estudo delas, e da sua provável configuração ao longo do tempo; em seguida, descreveremos brevemente os trabalhos de conservação e restauro feitos neles até agora, e finalmente avaliaremos as possibilidades e perspectivas deles para o futuro. Perguntas e contribuições são sempre bem vindas.

07/10 – 19h00 – Tema: A Capela revelada: fé e arte em São Miguel, com a Profa. Dra. Roseli Santaella Stella.

Descrição: A Capela de São Miguel cuja extensão é o atual Bairro, deve ser entendida como instrumento do sistema de colonização do Brasil tanto religioso como político. Nesse sentido, a contextualiaçao deve ultrapassar os limites do território brasileiro, bem como dos seus agentes oficiais, inserindo o elemento nativo revelado através dos registros artísticos que resistiram aos séculos de existência.

08/10 – 19h00 – Tema: A Capela de São Miguel Arcanjo nas rotas interculturais entre o local e o global, com a Me. Thais Montanari.

Descrição: A autora apresentará um panorama do percurso e os resultados obtidos da pesquisa desenvolvida durante o mestrado. A partir da decoração da Capela de São Miguel Arcanjo foi possível verificar diversas relações culturais, sociais e econômicas que permearam a história do antigo aldeamento indígena-jesuítico de São Miguel, ressignificando a História do aldeamento, da Capela de São Miguel e também da História de São Paulo.

09/10 – 19h00 – Tema: Revisitando a capela de São Miguel Paulista: um exercício de projeto e proposta de utilização, com a Profa. Dra. Tania Mioto.

Descrição: o raciocínio de projeto executado na Capela de São Miguel Arcanjo, em São Paulo, teve como objetivo mais do que a valorização dos seus aspectos originais. Uma proposta onde a exposição de dados criasse condições de novas percepções do Bem, ressaltando seu significado (religioso quanto cultural e histórico). O alcance de uma nova articulação com o patrimônio se avistava. Em julho de 2006, a proposta contemplou um Circuito de Visitação e se iniciavam as pesquisas sobre o conceito de educação patrimonial enquanto tarefa de valorizar o legado deste lugar.

10/10 – 19h00 – Tema: A pintura ilusionista nas capelas jesuíticas na América Latina, com o Prof. Dr. Percival Tirapeli.

Descrição: A pintura ilusionista em especial os altares em perspectiva era muito utilizada. Sobre as paredes, pintava-se um altar enquanto se aguardava o altar esculpido em madeira. Em muitos casos, esses altares em madeira nunca chegavam a serem feitos, permanecendo a pintura que poderia ser renovada como ocorre em capelas de difícil acesso. A pintura mural, que assim também pode ser denominada, ficou a cargo dos artistas, na Europa, e nas Américas, os artesãos indígenas é que executaram e ainda repintam os barrados das igrejas e capelas como ocorre nas Missões de Chiquitos, na Bolívia. No Paraguai há pinturas na Capela N. Sra. de Loreto, na Missão de Santa Rosa. No Brasil, o exemplar da Capela de São Miguel é único.

Fonte: Museu Capela de São Miguel