Museu Afro Brasil abre exposição sobre Maestro Abigail Moura e faz recital de poemas negros de Jorge de Lima

Museu Afro-Brasil - Fachada Principal
Foto: Divulgação / Museu Afro Brasil – Revista Afro

 Eventos marcam início da celebração do Dia da Consciência Negra

As celebrações ao Dia da Consciência Negra – Dia 20 de Novembro – começam mais cedo no Museu Afro Brasil, Instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. No dia 17 de novembro, às 19h, o museu abre a exposição “Breve Notícias: Abigail Moura e Orquestra Afro-Brasileira” e realiza o recital “Poemas Negros, de Jorge de Lima”, no Teatro Ruth de Souza. A entrada para os eventos é gratuita.

A exposição “Breves Notícias: Abigail Moura e Orquestra Afro-Brasileira” revisita manuscritos, partituras, além de fotografias do maestro Abigail Moura (1904-1970) e de seus músicos da Orquestra Afro-Brasileira. Fundado pelo regente em 1942, o grupo musical lançou apenas dois discos, sendo que, o de 1968 foi considerado um clássico da música popular brasileira. O som mesclava, entre outros ritmos, o opanijé e alujá (especiais para Omolú e Xangô, respectivamente), com as bases das múltiplas cadências encontradas nos cultos das religiões de matriz africana. A orquestra mesclava instrumentos da tradição ocidental, a exemplo da clarineta, e instrumentos afro-brasileiros, como o agogô e o berimbau.

Da vida do visionário mineiro Abigail Moura pouco se conhece: foi parceiro musical em canções de relativo sucesso, como Que é o amor, Poeira, Chorar é meu Consolo; na Rádio MEC exerceu a função de copista de partituras; nos últimos anos de vida morou no Benfica, na zona norte do Rio; e morreu na pobreza extrema.

“O maestro Abigail Moura fundamentava suas composições e arranjos como um religioso cuja vocação tem por mister reverenciar a divindade. Deveria ser extraordinário assistir a uma performance de Abigail, que, antes da apresentação da sua Orquestra Afro-Brasileira, agia como um sacerdote invocando antigos deuses, como se o palco de um teatro ou um auditório fosse de fato um espaço sagrado”, diz Emanoel Araujo, diretor curador do Museu Afro Brasil.

POEMAS NEGROS

Simultaneamente à abertura da mostra, o Teatro Ruth de Souza abrigará o recital “Poemas Negros de Jorge de Lima”, para comemorar o lançamento do livro homônimo, editado pela primeira vez em 1947 e publicado agora, em conjunto, pelas editoras Cosac Naify e Jatobá. Recitarão os poemas do livro o curador Emanoel Araujo, a coordenadora de Planejamento Curatorial, Ana Lucia Lopes, a coordenadora do Núcleo de Educação, Neide A. de Almeida, o jornalista e sociólogo Luiz Carlos dos Santos, o escritor Oswaldo de Camargo, e as atrizes Monalisa Bispo e Renata Araújo, com acompanhamento dos músicos Carlos Rogiero (violão) e Alexandre Max (guitarra portuguesa).

Poemas Negros foi lançado em 1947 com ilustrações do artista Lasar Segall e prefácio de Gilberto Freyre. Esta edição recupera a primeira publicação do livro, apresentando ao leitor 39 poemas marcados por envolvente musicalidade e apelo aos sentidos. Entre o engenho e o navio negreiro, Jorge de Lima apresenta a paisagem nordestina, as lavadeiras na lida, o ar “duro, gordo, oleoso” da madorna, sem deixar de lado a bisavó que “dançou uma valsa com D. Pedro II”. Carregado de contrastes, este livro situa o poeta no debate sobre a produção literária de temática negra, no Brasil e no mundo, conforme argumenta o prefácio de Vagner Camilo.

Um dos mais importantes poetas brasileiros, Jorge de Lima nasceu em 1893, em União dos Palmares, Alagoas. Sendo médico, exerceu a profissão em paralelo ao ofício de escritor e de uma atividade política que o obrigou a transferir-se para o Rio de Janeiro, em 1930. Em Maceió, conviveu com um grupo do qual faziam parte José Lins do Rego, Raquel de Queiroz e Graciliano Ramos.

Seu consultório carioca será um importante ponto de encontro entre artistas e intelectuais. Expressa em uma matriz cheia de imagens e sonoridades marcantes, sua obra multifacetada esta intimamente ligada à afirmação da estética modernista. Morreu em 1953, pouco após publicar Invenção de Orfeu, considerado um dos grandes poemas da língua portuguesa.

SERVIÇO:

EXPOSIÇÃO:

“Breves Notícias: Abigail de Moura da Orquestra Afro-Brasileira”

RECITAL:

“Poemas Negros”, de Jorge de Lima

Abertura em 17 de novembro, às 19h.

Museu Afro Brasil – Organização Social de Cultura

Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n

Parque Ibirapuera – Portão 10 – São Paulo / SP – 04094 050

Fone: 55 11 3320-8900

www.museuafrobrasil.org.br

10169263 853428541356720 3813577477258076469 n