Mostra de teatro de rua começou na sexta-feira (20) em São Paulo, reunindo 22 espetáculos do Brasil e do exterior

30-09-2013 n2

O teatro irá literalmente tomar conta das ruas do estado de São Paulo. Nesta sexta-feira (20), começa a quarta edição da Mostra Sesc de Teatro de Rua. A abertura do evento ocorre com a encenação da peça Os Gigantes da Montanha, às 20h30 no Parque da Independência, na capital paulista. O espetáculo, que terá duas apresentações (hoje e no sábado), é a nova criação do coletivo mineiro Grupo Galpão, que tem direção de Gabriel Villela. Ao todo, a programação do festival inclui 22 espetáculos de 21 companhias de teatro nacionais e internacionais, que juntas totalizam 68 apresentações.

Apesar de se passar no terrotório paulista, o evento traz peças de outros cinco estados brasileiros (Ceará, Paraíba, Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul) e duas montagens europeias – uma da Holanda e outra da Itália. A pluralidade, tanto geográfica quanto artística, desta edição do evento talvez se dê por uma razão organizacional do projeto: a curadoria compartilhada entre 17 programadores das unidades do Sesc. Tal escolha criou um panorama da diversidade do gênero, com seus estilos e características singulares de interação com os espaços públicos.

O grupo de curadores, compostos por programadores da capital e do interior paulista, decidiu realizar a seleção dos espetáculos através de três eixos condutores: diversidade de técnicas, representação regional das companhias e variedade de formatos. “A configuração promove a variedade de olhares. Foram compartilhados os repertórios pessoais de 17 profissionais. Esta experiência é muito rica e contribui para uma pesquisa ampliada. Como os curadores são de várias cidades, este processo compartilhado de curadoria também fortalece o vínculo da rede Sesc como um todo”, afirma Armando Fernandes, coordenador da Mostra e assistente da Gerência de Ação Cultural do Sesc SP.

Diante da extensa programação vale destacar alguns espetáculos como Luiz Lua Gonzaga, dos pernambucanos do Grupo Magiluth; Ópera do Trabalho e SerTãoSer, do grupo paulista Buraco d’Oráculo; e o já citado Os Gigantes da Montanha. Entre as atrações internacionais, destaca-se Schraapzucht (Hábito), da companhia Tuig, da Holanda, que será encenada na Arena Livre do Sesc Interlagos, em São Paulo. A peça, que utiliza a técnica do teatro físico, faz uma crítica à cultura ocidental do hiperconsumismo e ambição – sintoma que se nota no título original: ‘Schraapzucht’ é um sinônimo holandês para “avareza”.

Fonte: Blouinartinfo