MASP recebe retrospectiva “GUERRILLA GIRLS: GRÁFICA, 1985-2017”

A partir de 29 de setembro, as Guerrilla Girls apresentam uma retrospectiva com mais de 100 de seus icônicos cartazes, produzidos em cerca de 30 anos de carreira, além de uma performance, que ocorre no mesmo dia, a partir das 20h, com quatro das atuais integrantes do coletivo. A exposição é a primeira individual do coletivo norte-americano no Brasil.

A exposição ocupa o mezanino do 1º subsolo do Museu, onde os cartazes estão distribuídos em linha cronológica, que percorre as duas paredes do espaço.

O coletivo Guerrilla Girls foi criado nos anos 1980 e é uma das principais vozes sobre a participação das mulheres no mundo da arte. Por meio de performances e da utilização de cartazes sobre sexismo e racismo, o coletivo destaca não apenas o fato de que as mulheres artistas foram ativamente excluídas do “cânone” da arte, mas também foram exploradas como temas na história da arte, muitas vezes em nus.

Parte importante deste projeto do MASP é a edição do catálogo (MASP, 150 pp.) em versões em português e inglês, com reproduções de todos os cartazes já produzidos pelo grupo, além de uma entrevista com as artistas e textos de Adriano Pedrosa e Camila Bechelany, curadores da mostra. Uma publicação com tal abrangência do trabalho do coletivo é inédita tanto no Brasil quanto no exterior.

A exposição, que faz parte da programação em torno da mostra “Histórias da sexualidade”, conta com a curadoria de Adriano Pedrosa, diretor artístico, e Camila Bechelany, curadora assistente do MASP. A expografia é da METRO Arquitetos Associados.

SOBRE AS GUERRILLA GIRLS
As Guerrilla Girls formaram-se nos Estados Unidos, em 1985. O coletivo de artistas mulheres feministas mantém o anonimato quanto à identidade e à quantidade de suas integrantes, que costumam utilizar máscaras de gorila em aparições ao público. Ativistas dos direitos humanos, as Guerrilla Girls são uma das principais vozes contra o preconceito de gênero e étnico, bem como contra a corrupção na política, na arte, no cinema e na cultura pop.

As Guerrilla Girls já participaram de mais de 100 projetos, desenvolvendo cartazes, ações, livros, vídeos e adesivos em cidades como Nova York, Los Angeles, Minneapolis, Cidade do México, Istambul, Londres, Bilbao, Roterdã e Xangai, entre outras. Realizaram exposições em instituições como a Tate Modern (2006), o Centre Pompidou (2009-2012), o Istanbul Modern Museum (2006) e a 51º Bienal de Veneza (2005).

EXPOSIÇÃO
29.9.2017 a 14.2.2018
1º subsolo (mezanino)

PERFORMANCE
29.9 – 20h
Auditório do MASP
Distribuição de senhas a partir das 18h

Fonte: MASP