Marp traz mostra itinerante com obras de todos os cantos do país

 

Pela primeira vez, Ribeirão Preto recebe os vencedores do Prêmio CNI Sesi Marcantonio Vilaça
 
Foto: Joyce Cury / A Cidade
O artista plástico Marcone Moreira ao lado de sua obra no Marp
 
Marcone Moreira nasceu no Maranhão, tem residência em Marabá, no Pará, e já passou por cidades como Belo Horizonte e São Paulo, mas atualmente trabalha no Rio de Janeiro. “Dizer onde moro é um pergunta difícil de responder”, diz o artista plástico, bem-humorado.
 
Sua obra traduz bem essa “vida cigana”. São esculturas, objetos e instalações feitos de carrocerias de caminhões, barcos e até engradados de cerveja das regiões norte, nordeste e sudeste. Aos 30 anos, ele concilia referências populares e eruditas, regionais e ao mesmo tempo universais. Do dadaísmo de Duchamp à cultura popular amazônica, tem de tudo um pouco.
 
O maranhense está na cidade para conferir a mostra itinerante de arte contemporânea do Prêmio CNI Sesi Marcantonio Vilaça, que fica em cartaz até 17 de março no Marp – Museu de Arte de Ribeirão Preto. Ele é um dos cinco artistas selecionados dentre 580 projetos inscritos na edição 2011/2012. O prêmio é um dos mais importantes do país na área de artes plásticas.
 
O objetivo da mostra é estimular o acesso à produção da arte contemporânea, que nesta temporada, além de Marcone, é representada também pelos artistas Jonathas de Andrade, de Alagoas; Laura Belém, de Minas Gerais; e André Komatsu e Paulo Nenflidio, de São Paulo.
 
“É um prêmio de relevância e que dá uma grande visibilidade pra gente. Dá a possibilidade de circular por todo o País”, afirma o jovem artista.
 
Continue lendo
 
Fonte: Jornal A Cidade