Museu de Arte Moderna de São Paulo celebra aniversário de 72 anos com programação especial on-line

Ações incluem conteúdo sobre exposições emblemáticas do Museu, debates e mostras virtuais no site e redes sociais da instituição

Em julho, o Museu de Arte Moderna de São Paulo celebra 72 anos com programação on-line repleta de conteúdos históricos e mostras inéditas, com ações norteadas por temas que reforçam o pioneirismo da instituição como o moderno e o contemporâneo, artistas mulheres, cultura afro-brasileira e o momento atual do Museu.

Na mostra O útero do mundo, de 2016, a curadora Veronica Stigger reuniu 280 obras de 120 artistas do acervo, como Sandra Cinto, Keila Alaver, Nazareth Pacheco, Claudia Andujar e Shirley Paes Leme, e recorreu a três conceitos extraídos da obra de Clarice Lispector para pensar a mostra: Grito ancestral, Montagem humana e Vida primária. Acesse o catálogo on-line aqui.

A exposição A Mão Afro-Brasileira, coletiva histórica realizada no MAM em 1988, será relembrada de 13 a 19 de julho. A mostra apresentava um panorama da produção de autoria negra do século XVIII ao XX por meio de obras de artistas como Aleijadinho, Rubem Valentim, Gervane de Paula e Mestre Didi. No decorrer desta semana, o MAM promoverá uma oficina virtual de ritmos africanos com o músico congolês Zola e um encontro on-line antirracista com Suzane Jardim, historiadora e educadora em questões étnico-raciais

O conteúdo apresentado entre os dias 20 e 26 de julho será norteado pela particularidade do MAM em ser um Museu de arte moderna e também contemporânea. Serão abordados temas como modernismo, arte indígena como arte contemporânea, e sobre os Panoramas, que foram introdutórios da arte contemporânea no acervo da instituição. A exposição inaugural do Museu, Do figurativismo ao abstracionismo, de 1949, mostra fundamental para a introdução da arte moderna no Brasil, será rememorada.

As discussões deste período ainda lançam luzes sobre a Arte Plumária no Brasil, exposição realizada em 1980, que se relaciona à produção indígena presente no 35º Panorama: Brasil por Multiplicação e no último Panorama “Sertão“, e remonta aos artefatos dos povos sambaqueiros paleoindígenas do 34º Panorama: Da pedra Da terra Daqui. Em uma atividade inédita, o MAM realizará uma live sobre arte indígena presente nos 34º, 35º e 36º Panoramas com o artista Jaider Esbell e com a antropóloga Paula Berbert.

Para encerrar a programação de aniversário, de 27 a 31 de julho, o museu abordará seu momento atual por meio do lançamento de experiências virtuais inéditas em sua página do Google Arts & Culture. São recortes inéditos das exposições que serão inauguradas na reabertura: Antonio Dias – derrotas e vitóriasClube de Colecionadores de Fotografia MAM – 20 anos e roçabarroca – Projeto Parede de Thiago Honório. As atividades on-line incluem experiências poéticas e lives sobre as exposições.

Fonte: MAM-SP