MACC inaugura exposições de Giancarlo Giannelli, Ernesto Bonato e Jan M.O.

Estão em exibição no Museu de Arte Contemporânea de Campinas “José Pancetti”, três mostras individuais dos artistas Ernesto Bonato, Jan M.O. e Giancarlo Giannelli. As exposições revelam três olhares que apontam para as artes gráficas e a fotografia.

Com FotoForma 66, Giancarlo Giannelli presta homenagem aos 66 anos da primeira exposição de fotografia abstrata no Brasil, do artista Geraldo de Barros. São 35 fotografias com técnicas diversas que transitam entre o abstrato e o figurativo. Geraldo de Barros (1923-1998), um dos mais influentes artistas visuais do século 20, produzia fotografia, gravura e pintura de forma concomitante, e as diversas técnicas faziam parte de um mesmo processo criativo. Entre os anos de 1940 e 1950, produziu os trabalhos que originaram a exposição.

maré 2

A exposição Maré.02, de Ernesto Bonato, consiste em uma instalação constituída por oito xilogravuras de grandes dimensões (3 x 4 metros). O projeto teve início em uma residência artística realizada pelo artista no Instituto de Artes da Unicamp, entre agosto de 2011 e julho de 2012. A principal atividade foi a elaboração de uma grande xilogravura sobre a imagem da água, executada pelo artista e por estudantes. Parte do resultado dessa experiência foi exibido na Galeria do Instituto de Arte da Unicamp e na Estação Pinacoteca de São Paulo, em 2012.

Maré.02 evoca a necessidade de se perceber o movimento permanente, as forças que nascem profundas, os ciclos da natureza, o poder do silêncio, aquilo que vivifica, a vida das águas, força e brandura, o murmúrio, chegar e partir, a escuta do que pulsa. Além do claro viés ambiental e existencial, o projeto busca ampliar a apreciação e reflexão da gravura contemporânea, revelando seu aspecto mutante, a partir de elementos como escala, difusão, diálogo entre tecnologias modernas e tradicionais, ocupação de espaço, relação entre fotografia e gravura, memória.

O projeto recebeu apoio do Programa de incentivo à Cultura do Estado de São Paulo (PROAC) e da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Bonato conversa com o público sobre o processo de criação e ideias que permeiam o projeto no dia 9 de abril, sábado, das 15h às 17h, no Maac.

A exposição individual “Amorfo” apresenta os entrelaçamentos poéticos e construtivos que caracterizam a produção do artista Jan M.O. O resultado visual desta série expositiva vem sendo desenvolvido e experimentado pelo artista desde 2011 ao longo de uma pesquisa em que o pontilhamento manual do nanquim, o gotejamento da tinta spray e o uso detalhista do grafite remetem à saturação do impresso litográfico.

Nesta mostra, o artista apresenta a forma ambigrama (“escrita ambígua”), que se apresenta como quebra-cabeça onde a caligrafia é modelada em busca de letras ou arranjos de palavra que garantam a leitura em diferentes sentidos a partir de uma base gráfica. A exposição propõe um olhar interativo, onde o espectador abandona a imobilidade diante da obra e, literalmente, vira o olhar para a imagem. Almeja instigar a curiosidade para ler e desvendar cada palavra, forma ou ação no conjunto de imagens.

As Mostras poderão ser vistas de 8 de abril a 8 de maio gratuitamente. (Carta Campinas com informações de divulgação)

Exposições
FotoForma 66, de Giancarlo Giannelli
Maré.02, de Ernesto Bonato
Amorfo, de Jan M.O.

 

Período de visitação: 8 de abril a 8 de maio
Onde: Museu de Arte Contemporânea de Campinas “José Pancetti” (Rua Benjamin Constant, 1633 – Centro. Campinas). Telefone: (19) 3236 4716.
Horário de funcionamento: terça, quarta, sexta e sábado, das 10h às 18h; quinta, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 11h às 15h.
Entrada gratuita

Fonte: Carta Campinas