Jornada do Patrimônio 2021 terá circuitos temáticos, site interativo e reabertura da Vila Itororó

Evento acontece entre os dias 11 e 12 de setembro, com atividades online e presenciais

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, anuncia a Jornada do Patrimônio 2021. O evento, já tradicional na capital paulistana, acontece neste fim de semana, nos dias 11 e 12 de setembro, com ações de educação e reflexão sobre a memória cultural da cidade, celebrando desde a arquitetura até o cinema, a música, o teatro e, especialmente neste momento, a atuação dos profissionais de saúde.

A programação conta com atividades presenciais e on-line, incluindo visitas guiadas, palestras, oficinas e intervenções artísticas interativas.

O evento, garantido em lei municipal desde 2016, foi reconhecido pelo prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), em 2019. “A Jornada é um evento de grande importância para a nossa cidade, ainda mais nesse momento de retomada das atividades presenciais”, afirma Aline Torres, Secretária de Cultura. “Essa edição fará com que a população reflita e a valorize a nossa história, arquitetura e arte.”

Circuito Memória Paulistana

Entre os destaques da programação digital está o Circuito Memória Paulistana, site que reúne depoimentos, informações, fotografias em 360 graus, vídeos e audioguias sobre os principais pontos históricos de São Paulo.

O material está organizado em torno de circuitos temáticos, de pautas identitárias como “Lutas Indígenas”, “LGBTQIA+” e “Resistência Negra” até pautas mais específicas como “Futebol de Várzea” e “Memória Operária”, elaborados a partir de mais de 400 pontos mapeados pelo projeto Placas da Memória Paulistana. O site pode ser acessado no endereço: circuitomemoriapaulistana.com.br.

Reabertura da Vila Itororó

Entre as ações presenciais destaca-se a peça “Adoniran reencontra Elis na Vila”, uma reencenação do encontro entre os dois músicos no bairro do Bixiga, que ocorreu em 1978. A apresentação acontecerá no sábado, a partir das 18h, na Vila Itororó, espaço cultural que reabre as portas ao público após uma ampla reforma.

A inauguração será celebrada, ainda, com uma iluminação cênica assinada pela artista Lígia Chaim, um projeto que possibilitará ao espaço se adaptar a ocasiões temáticas como Natal, Ano Novo ou Setembro Amarelo.

Outra ação interativa prevista para esta Jornada é o projeto “Meu Lugar”, que captará relatos de moradores para que fiquem registrados na futura Casa da Memória, novo espaço expositivo que integrará a Vila Itororó, construindo assim uma história coletiva e participativa da cidade. Os depoimentos serão captados antes do início da Jornada, para que sejam exibidos no canal de Youtube da Secretaria Municipal de Cultura como parte da programação.

Também recuperando a memória musical paulistana, o projeto “Ligações Históricas” leva, a partir do sábado, orelhões cenográficos a diferentes pontos da capital, cada um homenageando um dos personagens ou movimentos icônicos identificados no Memória Paulistana, como Raul Seixas, Sabotage ou o Cordão Carnavalesco Vae-Vae. No lugar dos telefones, instalações sonoras tocam parte da obra retratada para os transeuntes conhecerem. As peças serão realocadas para a Vila Itororó após o evento.

Roteiros e palestras

A programação também traz uma série de passeios guiados ao ar livre ao longo dos dois dias. No bairro da Liberdade, por exemplo, um tour discute as heranças culturais indígenas e negras que marcam a região tanto quanto as tradições orientais, enquanto, na Penha, um grupo passa pelas igrejas locais para pensar a memória pelos pontos de vista arquitetônico e religioso.

Já na Bela Vista, o Instituto Pasteur ganha uma projeção em videomapping, na noite do dia 11, para celebrar a importância dos profissionais de saúde no momento atual, incluindo essa temática nas discussões sobre história e patrimônio. O tema da saúde também aparece em palestras on-line, que discutirão, no sábado, a partir das 18h, a história de instituições como a Santa Casa de São Paulo e o Hospital de Alienados da Várzea do Carmo.

Os eventos trazem especialistas para dividir com o público suas pesquisas sobre fatos históricos pouco conhecidos, como a “roda dos enjeitados”, um mecanismo de abandono de recém-nascidos que funcionava na Santa Casa.

A programação completa da Jornada do Patrimônio 2021 pode ser conferida no site: https://jornadadopatrimonio.prefeitura.sp.gov.br/.

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura