IPHAN e UNESCO promovem sinalização do Patrimônio Mundial no Brasil

iphan e unesco

 Publicação com orientações técnicas para sinalização dos sítios brasileiros é lançada

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO no Brasil) lançam a publicação Sinalização do Patrimônio Mundial no Brasil – Orientações Técnicas para Aplicação a fim de dar maior visibilidade aos 19 sítios brasileiros declarados Patrimônio Mundial pela UNESCO. O objetivo é promover e valorizar os sítios culturais, naturais e mistos existentes no país.

A publicação, que está sendo enviada a gestores de todos os sítios brasileiros, apresenta referências para a produção de projetos de sinalização em sintonia com a identidade visual comum ao Patrimônio Mundial reconhecida internacionalmente. Nela estão disponíveis todas as orientações para aplicação do emblema do Patrimônio Mundial, diferentes modelos de peças de comunicação visual bem como os materiais mais adequados para a produção de placas, totens, mapas etc. Acesse a versão online da publicação clicando aqui.

A expectativa é que, a partir dessas orientações técnicas, todos os sítios do país possam implementar projetos de sinalização qualificada, passando a usufruir de maior reconhecimento de seu valor excepcional universal. Além de facilitar o acesso e a interpretação dos monumentos e dos conjuntos históricos e naturais, a sinalização deve contribuir para estimular nos brasileiros a valorização e o sentido de orgulho pelo Patrimônio de suas cidades.

Espera-se ainda que a sinalização ajude a fortalecer a rede patrimonial do país, tornando-se um primeiro passo para estimular a criação de rotas patrimoniais, incentivando ainda mais a sua visitação.

Benefícios do título de Patrimônio Mundial

Em 1972, a Conferência Geral da UNESCO aprovou a Convenção para Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural com a missão de identificar e proteger sítios culturais e naturais considerados de excepcional valor universal em todo o mundo. A Convenção é hoje o instrumento internacional de maior difusão e visibilidade da UNESCO, estimulando compromissos dos países com a proteção e a valorização de seus bens inscritos na chamada Lista do Patrimônio Mundial.

A Lista do Patrimônio Mundial representa a diversidade cultural e biológica do planeta. Inclui bens do Patrimônio Cultural – monumentos, conjuntos e sítios – e do Patrimônio Natural – monumentos naturais, formações geológicas, fisiográficas, o habitat e áreas naturais delimitadas, dentre outras. Os bens podem também ser classificados como mistos, incluindo caraterísticas tanto de Patrimônio Cultural quanto Natural.

Os benefícios trazidos pelo reconhecimento como Patrimônio Mundial vão desde os avanços sociais, educacionais, culturais e políticos até a valorização dos bens nas áreas declaradas Patrimônio Mundial; a atração de aportes de doadores privados; o aumento do turismo e da geração de emprego e renda, bem como uma maior projeção internacional, dentre outras vantagens. Tais benefícios, ainda pouco explorados pelos brasileiros, adquirem relevância em tempos de eventos internacionais como a Copa do Mundo, quando os olhos do mundo estarão voltados para o Brasil.

Em 2013, o Brasil figura na Lista do Patrimônio Mundial com 19 sítios, sendo 12 culturais e sete naturais, os quais integram uma gama completa de patrimônio, da pré-história à arquitetura moderna de Brasília. Em que pesem os benefícios trazidos pelo título a vários desses sítios, como, por exemplo, os investimentos em restauração e conservação oriundos do Projeto Monumenta e agora do PAC das Cidades Históricas, o Brasil ainda tem vasto espaço para ampliação das vantagens trazidas pelo título da UNESCO. Um bom passo nesse sentido é a sinalização qualificada dos bens e sítios brasileiros.

Outras informações sobre Patrimônio Mundial no Brasil no site da Unesco e no site do IPHAN 

Mais informações para a imprensa:
UNESCO no Brasil
Ana Lúcia Guimarães – a.guimaraes@unesco.org
(61) 2106-3536
Isabel de Paula – i.paula@unesco.org
(61) 2106-3543

Fonte: Iphan