INTERVENÇÃO URBANA E CORTEJO “MULHERES NA LUZ – ONDE ESTÃO AS MULHERES NA ARTE E NA CIDADE?”

No próximo dia 11 de dezembro, partir das 11h, o Museu da Língua Portuguesa realiza, junto ao DIVERSITAS USP, galeria Choque Cultural, Museu da Energia e Sesc Bom Retiro, a Intervenção Urbana, Cortejo e Mostra de Vídeo-cartas Mulheres na Luz”, integrando a programação da Campanha Sonhar o Mundo.

Desde 2020, a Sonhar o Mundo, iniciativa que nasceu como campanha e segue seu percurso para se tornar um programa, abrigou o tema “equidade de gênero” por meio da parceria desenvolvida entre Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e o coletivo transnacional “Mujeres cambian los museos. De la igualdad a la equidade”.

“Mulheres Transformam os Museus: da igualdade à equidade” tem como proposta configurar uma cartografia contemporânea de boas práticas sobre as questões da memória através do protagonismo feminino e narrativas de comunidades, por meio da análise das práticas museológicas, educacionais e artísticas envolvidas com os territórios, promovendo a equidade de gênero e os direitos humanos em contexto ibero-americano.

Dando continuidade a este ciclo de sensibilização e discussões, a programação de encerramento do ano de 2021, conta com uma série de atividades oferecidas pelos museus paulistas em torno do tema “Soluções Sistêmicas para o futuro que queremos: Mulheres”.

Integrando esta programação, com a temática Arte, Memória, Cidade e Direitos Humanos. o Museu da Língua Portuguesa propõe o diálogo com outras instituições e coletivos do território, por meio da ativação artística desenvolvida pelo Coletivo Birico, a apresentação de vídeo-cartas – narrativas audiovisuais protagonizadas por mulheres em contexto ibero-americano, seguido de cortejo que mobiliza os diálogos interculturais, as relações de gênero e a memória no território da Luz e Bom Retiro.

Caminhando pelo bairro com seu dispositivo móvel, o Coletivo Birico faz a colagem de cartazes produzidos por artistas mulheres do Brasil e Espanha, compondo um mural visual que propõe criar diálogos e refletir sobre a presença das mulheres na cultura e nas cidades, deslocando-se do Teatro de Contêiner Mungunzá e Coletivo Tem Sentimento em direção ao Museu da Língua Portuguesa.

Lá são apresentadas no saguão do Museu da Língua Portuguesa, ala oeste, vídeo-cartas produzidas por mulheres de diferentes regiões do Brasil e da Espanha abordando questões relativas à visibilidade e representação nas relações com a arte, a memória, o trabalho, violência de gênero, equidade, entre outros temas. O Bloco Afro Ilú Obá de Min, em conjunto com artistas e público segue em cortejo pela Rua Três Rios em direção ao Sesc Bom Retiro e ao Museu da Energia.

Atualmente em exposição no Sesc Bom Retiro, a mostra “Birico: poéticas autônomas em Fluxo” pode ser visitada, abordando as intervenções de arte e a convivência propostas pelo coletivo Birico. Em parceria com o Museu da Energia, os espaços institucionais e a cidade se convertem em uma praça-palco para celebração do protagonismo das Mulheres na Arte e na Cidade, reunindo museus, música, dança, performance e artes visuais, na realização de colagem coletiva de cartazes-narrativas na fachada do Museu da Energia para ser compartilhada com o público urbano. Sonhar o Mundo: Juntas/Juntos/Juntes!!!!

Programação 11 dezembro 2021

11h – Teatro de Contêiner Mungunzá/ Biricar muro lateral

12h – Museu da Língua Portuguesa – Biricar e Video-Cartas 

12h15 – Ilú Obá de Min- Concentração no MLP ala oeste / rua + Biricar

12h30 – Início do trajeto e cortejo caminhando pela Rua Três Rios em direção à Rua Silva Pinto e Al. Nothmann até o Museu da Energia + Sesc Bom Retiro

13h30 – Biricar – colagem e intervenção na fachada do Museu da Energia

13h45 – Ilú Obá de Min + performance gráfica e musical

14h – encerramento e visita à mostra Birico: poéticas autônomas em fluxo, Sesc Bom Retiro

Mulheres na Luz é uma ação urbana constituída a partir de intervenção visual e cortejo inserindo imagens inéditas no espaço público, produzidas por artistas que se vinculam à “Cátedra Nómada: Onde estão as mulheres na Arte e na Cidade?” As temáticas das imagens se referem à gênero, memória, corpo e cidade. Mulheres de diversas regiões do Brasil e Espanha responderam à questão norteadora “Onde estão as Mulheres na Arte e na Cidade”, tanto por meio de encontros realizados ao longo deste ano quanto pela produção de cartazes que serão expostos na forma de lambe-lambes, projeções em fachadas em muros e fachadas de museus e equipamentos culturais da região da Luz e Bom Retiro.

Coletivo Birico é um coletivo de coletivos que atuam no espaço público a partir de múltiplas formas e expressões poéticas envolvendo: arte, saúde pública, cultura, educação, assistência social etc. Biricar é uma das ações proporcionadas pelo coletivo de artistas Birico, que atua com arte, vizinhança e redução de danos em territórios de vulnerabilidade social. A ação Biricar consiste em um atelier itinerante montado num carrinho de pipoqueiro que oferece vivências poéticas em gravura, stencil, música e contação de histórias.

O “Bloco Afro Ilú Obá De Min” constitui-se como intervenção cultural baseada na preservação de patrimônio imaterial, memória e identidade. O trabalho atualmente é coordenado pela arte-educadora e musicista Beth Beli e Mazé Cintra, desenvolve pesquisa sobre matrizes africanas e afro-brasileiras e objetiva a inserção de mulheres, crianças e adolescentes na arte através do conhecimento das manifestações culturais tradicionais como o carnaval e no estudo das contribuições e influências africanas na cultura brasileira

Onde estão as Mulheres na Arte e na Cidade?

A Cátedra Nómada são encontros que propõem uma reflexão a partir das práticas de co-pesquisa e co-criação organizados pelo Diversitas – Núcleo de Estudos das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos da USP, com a participação de diversos países.

A intervenção urbana Mulheres na Luz ocorrerá não próximo dia 11 de dezembro, das 11h às 14h, na região da Luz e Bom Retiro, no centro da cidade. A ação é uma iniciativa do grupo de pesquisa DIVERSITAS USP, SISEM (Sistema de Museus da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo) e a Galeria Choque Cultural com o apoio e realização do Museu da Língua Portuguesa, Museu da Energia e Sesc Bom Retiro, com a participação e ativação dos Coletivos Birico e Bloco Afro Ilú Obá de Min.

A Coordenação geral e concepção são da artista transdisciplinar Lilian Amaral @amaral_arte e Silvana Nascimento – Diversitas USP/Brasil. Co-curadoria de Baixo Ribeiro – galeria Choque Cultural – São Paulo/SP – Brasil, participação/ativação do Coletivo Birico @birico.arte e o Bloco Afro Ilú Obá de Min @iluoba

Lilian Amaral

Lilian Amaral, artista transdisciplinar, curadora e pesquisadora no campo da arte pública relacional em contexto ibero-americano, com foco nas poéticas urbanas, artivismos e novos meios. Integra o DIVERSITAS USP onde coordena a “Cátedra Nômada: Onde estão as Mulheres na Arte e na Cidade?” e Dirige no Brasil o projeto Transnacional “Mulheres Transformam os Museus. Da Igualdade à Equidade – https://www.mujerescambianlosmuseos.com/presentacion-apresentacao/

Baixo Ribeiro, co-organizador da Intervenção Urbana MULHERES NA LUZ, organizada conjuntamente pela galeria CHOQUE CULTURAL, da qual Baixo é curador e gestor.

Fonte: Mulheres Transformam os Museus