INSTITUIÇÕES CULTURAIS DO GOVERNO DE SP OFERECEM PROGRAMAÇÃO PRESENCIAL ATÉ 30/04

Espaços da capital, interior e litoral terão limite de 25% de ocupação e horário de funcionamento das 11h às 19h.  As atividades online e filmagens continuam liberadas

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa informa que os espaços e atividades culturais voltaram a funcionar no Estado de São Paulo no último sábado 24. A medida foi possível graças à implantação da fase de transição do Plano São Paulo, anunciada no dia 16/4 pelo Governo Estadual. O limite de ocupação dos museus, cinemas, bibliotecas e instituições culturais não pode ultrapassar 25% da capacidade total dos estabelecimentos e o horário de funcionamento fica reduzido das 11h às 19h.  Nesta fase transitória, os espaços também devem respeitar protocolos como o controle de acesso, público sentado e assentos marcados.

Confira alguns dos eventos programados pelas instituições culturais do Governo do Estado de São Paulo:

CAPITAL

O MIS Experience reabre ao público a exposição Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio, das 11h às 17h – com entrada gratuita às sextas. A permanência no espaço estará restrita a uma hora de visita, respeitando os protocolos das autoridades sanitárias no combate à Covid-19. Os ingressos devem ser adquiridos antecipadamente pelo site mis-sp.byinti.com. Mais detalhes no site: https://www.mis-sp.org.br/mis-experience

Para quem ainda não conferiu a mostra Pelé 80 – O Rei do Futebol, o Museu do Futebol abriu uma última oportunidade, liberando a venda de ingressos online para visitação nos dias 24 e 25 de abril, sábado e domingo, das 11h às 19h. Homenagem aos 80 anos de Edson Arantes do Nascimento, considerado o maior atleta do século 20 e o melhor jogador de futebol brasileiro de todos os tempos, a exposição, com curadoria de Gringo Cardia, apresenta Pelé para as novas gerações, com uma visualidade lúdica e contemporânea. Mais detalhes no site: https://museudofutebol.org.br/

A Pinacoteca de São Paulo segue com a mostra OSGEMEOS: Segredos, primeira exposição panorâmica da dupla de artistas formada pelos irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, que conta com mais de 1000 itens desse rico imaginário e segue sendo sucesso de público e crítica. Aberta a partir deste sábado, das 11h às 19h. Informações para ingressos no site: http://pinacoteca.org.br/

Já a Pina Estação está em cartaz com a exposição “José Damasceno: moto-contínuo”.  A mostra, com curadoria de José Augusto Ribeiro, é a primeira a reunir um número representativo de obras da carreira do artista desde  o início até os dias atuais, com peças realizadas entre 1989 e 2021. Damasceno é um dos artistas brasileiros com maior inserção no circuito internacional de arte contemporânea, reconhecido pelas múltiplas linguagens com que opera e pela escala agigantada das peças, além do caráter reflexivo de seus trabalhos. Funcionamento das 11h às 17h. Mais detalhes no site: https://pinacoteca.org.br/visite/pina_estacao/

No Museu de Arte Sacra de São Paulo, a exposição de longa-duração “Arte Sacra Através dos Séculos”, conta com a inserção de peças da “Via Crucis” de Victor Brecheret e a mostra temporária “João Trevisan: Corpo e Alma”, composta por trabalhos com técnicas e suportes diferenciados criados com uma seleção de pinturas, esculturas e uma vídeo-performance registrando o trabalho do artista brasiliense. Funcionamento das 11h às 17h. Mais detalhes no site: http://museuartesacra.org.br/

O Museu da Imigração está em cartaz com três mostras, sendo a de longa duração “Migrar: experiências, memórias e identidades”, que aborda o processo migratório como um fenômeno permanente na história da humanidade, perpassando contextos mais específicos, como a grande imigração ocorrida nos séculos 19 e 20; Já a exposição temporária “Nonni di São Paulo”, reúne 50 depoimentos de migrantes italianos colhidos por Oliviero Pluviano, jornalista italiano radicado no Brasil; e, por fim, a mostra “Quem conta essa história: refugiados jornalistas ou jornalistas refugiados?”, com fotos, textos e recursos audiovisuais produzidos pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e Folha de S.Paulo. Aberto das 11h às 17h. Mais detalhes no site: https://museudaimigracao.org.br/

Já o Museu da Casa Brasileira funciona das 11h às 18h, e é uma excelente opção para ao público, com um jardim na área externa que é um verdadeiro oásis em meio à densa urbanização da região da avenida Faria Lima. Também é composto de um acervo vivo e um dos últimos espaços verdes remanescentes que ilustram hábitos de moradia da elite paulistana entre o final do século XIX e a 2ª Grande Guerra. Às terças-feiras a entrada é gratuita. Mais detalhes no site: https://mcb.org.br/pt/

O Paço das Artes conta com a exposição que já estava em cartaz: Táticas de Desaparecimento, que faz parte da celebração de 25 anos da Temporada de Projetos, um dos mais longevos e importantes editais de arte do Brasil. A mostra apresentará obras de Aleta Valente, Maryam Monalisa Gharavi, Nino Cais, Regina Parra, Sallisa Rosa e Thiago Honório. Funcionamento de quinta a domingo das 12h às 18h. Mais detalhes no site: https://www.pacodasartes.org.br/

A rede de Museus-Casas Literários, formada por Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade, retoma a visitação presencial no dia 28 de abril, com funcionamento de quarta-feira a sábado, das 12h às 16h, e com número restrito de visitantes, que deverão agendar as visitas pelo site de cada instituição. Na Casa das Rosas a dica é a exposição Coestelário, do artista Guilherme Gontijo Flores e Daniel Kondo; Já na Casa Guilherme de Almeida, os visitantes podem conferir o Acervo de Guilherme de Almeida e Baby de Almeida; Na Casa Mário de Andrade está em cartaz as mostras “Morada do Coração Perdido”, de Carlos Augusto Calil, e “Mário & Alphonsus revisitados”. Mais detalhes nos respectivos sites das instituições: https://www.casadasrosas.org.br/, http://www.casaguilhermedealmeida.org.br/ e http://www.casamariodeandrade.org.br/ .

O Memorial da Resistência de São Paulo apresenta três exposições em cartaz abertas para visitação das 11h às 17h. A exposição de longa duração, composta pelo que restou do espaço carcerário do Deops/SP: 4 celas, o corredor principal e o corredor do banho de sol, locais que testemunharam atrocidades e desencanto; Canto Geral: a luta pelos direitos humanos, que revela a transposição em gravuras dos 30 artigos da “Declaração Universal dos Direitos Humanos” e “Orgulho e Resistências: LGBT na ditadura”, realizado em parceria com o Museu da Diversidade Sexual. Mais detalhes no site: http://memorialdaresistenciasp.org.br/

Para quem deseja aproveitar este retorno das atividades com a família, a dica é a “Leitura ao pé do ouvido”, da Biblioteca de São Paulo, com trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos, nos 27 e 29 de abril, das 12h30 às 13h e das 15h30 às 16h. Mais detalhes no site: https://bsp.org.br/

Já na Biblioteca Parque Villa-Lobos, no dia 30/4, a dica é a interação com o público dedicada à oralidade e declamação de poesias, a atividade “Licença Poética”, no qual os mediadores de leitura circulam pela biblioteca e fazem um convite gentil à escuta poética, das 14h às 14h30. Mais detalhes no site: https://bvl.org.br/

LITORAL

O Museu do Café, localizado em Santos, está em cartaz com três mostras, sendo a de longa duração “Café, patrimônio cultural do Brasil: ciência, história e arte”, que aborda os processos de produção do grão, com exemplares da planta e objetos do acervo, e uma linha do tempo apresentando diferentes aspectos dessa história,  a exposição temporária “Calixto: discurso do progresso e identidade paulista”, composta por três quadros de Benedicto Calixto que adornam o Salão do Pregão, no edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, e a “Mundo em rede: as telecomunicações e o café”, trazendo uma reflexão sobre a importância das telecomunicações para o comércio do grão no acervo do Museu do Café. Aberto das 11h às 17h. Mais detalhes no site: https://www.museudocafe.org.br/.

INTERIOR

Os Museus Índia Vanuíre, em Tupã, Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, e Casa de Portinari, em Brodowski, voltaram a funcionar presencialmente de terça a domingo, das 11h às 16h, com atividades educativas e culturais. Mais detalhes nos respectivos sites das instituições: www.museuindiavanuire.org.br/culturaemcasawww.museufelicialeirner.org.br/culturaemcasa e www.museucasadeportinari.org.br/culturaemcasa. Fonte: Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo