Inédito: Museu da Diversidade Sexual promove o curso gratuito Gestão Cultural LGBTI+ a partir de abril

As inscrições podem ser feitas on-line até o dia 23 de março

Entre os dias 1º de abril e 13 de maio, o Museu da Diversidade Sexual promoverá uma atividade pioneira no país. Trata-se do curso intensivo Gestão Cultural LGBTI+, que será ministrada pelo consultor cultural André Fonseca às segundas e quartas-feiras, das 18h45 às 21h45.

O curso abordará aspectos fundamentais da gestão cultural sob uma perspectiva LGBTI+ e será destinada a esse público. Todo o conteúdo será desenvolvido considerando o atual cenário do país e os novos desafios estabelecidos para a área cultural e para essa comunidade. O objetivo final é ajudar as pessoas participantes a terem uma visão mais estratégica sobre gestão cultural, que as ajude a potencializar seus projetos e trabalhos nos quais estejam envolvidas.

 As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site http://www.mds.org.br/curso-intensivo-gestao-cultural-lgbti/. Como o número de vagas é restrito a 20 participantes, haverá processo de seleção feito por André Fonseca.

De acordo com o consultor, a metodologia será dinâmica, envolvendo a interação constante entre ele e a turma, diversas atividades, debates em grupos, e uma reflexão constante sobre as relações entre a gestão cultural e a inclusão e empoderamento da comunidade LGBTI+.

Paralelamente aos temas abordados, outras questões ajudarão a direcionar o curso: quais as pautas mais diretamente relacionadas aos públicos LGBTI+ que ainda precisam ser incorporadas em processos de gestão e produção culturais? Como trabalhar a inclusão LGBTI+ em toda a cadeia produtiva da cultura, considerando a diversidade dessa comunidade? É possível falarmos de uma “gestão cultural LGBTI+”? 

Fazem parte do conteúdo programático questões como: O conceito de cultura e suas dimensões. Direitos humanos, direitos culturais e guerras culturais. O impacto da era digital no comportamento dos públicos, na cadeia produtiva da cultura e nas pautas LGBTI+. As políticas culturais LGBTI+ no Brasil. Consumo cultural no Brasil. Cultura e públicos: estratégias para uma aproximação. Comunicação de ações culturais em tempos de algoritmo e excesso de informações. Elaboração e apresentação de projetos. Estratégias de financiamento em tempos de redução de verbas. Ferramentas para a produção cultural LGBTI+ no Brasil atual. A inclusão das pautas LGBTI+ e outras pautas identitárias nos processos de gestão e produção culturais.

O curso é voltado a pessoas LGBTI+ que já desenvolvam um projeto cultural (mesmo que seja um projeto iniciante ou “amador”), ou que façam parte de um projeto, ou que já tenham algum tipo de atuação na área cultural. Por exemplo, artistas; pessoas que trabalham com produção cultural; integrantes de coletivos de cultura e de grupos artísticos; pessoas que fazem parte da equipe de instituições e espaços culturais; pessoas que desenvolvem um projeto cultural próprio; pessoas que pesquisam cultura LGBTI+. Não é necessário que o projeto desenvolvido ou do qual a pessoa faça parte seja voltado apenas para o público LGBTI+. 

Processo de seleção

O critério essencial será formar uma turma LGBTI+ diversificada em aspectos como faixa etária, localização geográfica, raça/etnia, identidade de gênero e perfil do projeto cultural ou da atuação na área cultural. A relação de pessoas selecionadas e suplentes será postada na página do Facebook e no site do Museu da Diversidade Sexual no dia 25 de março. A instituição também entrará em contato com os selecionados, que deverão confirmar sua participação para terem suas vagas reservadas. Em caso contrário, a vaga será cedida a uma pessoa suplente.

Será emitido um certificado de participação pelo Museu da Diversidade Sexual para quem apresentar frequência em no mínimo 11 dos 12 encontros do curso. 

Fomentador

André Fonseca é consultor, professor e palestrantes nas áreas de gestão cultural, relações com públicos e diversidade. Graduado em comunicação social com habilitação em marketing pela ESPM-Escola Superior de Propaganda e Marketing, e pós-graduado em Cooperação e Gestão Cultural Internacional pela Universidade de Barcelona. Foi ministrante da pós-graduação à distância do Senac Gestão cultural: cultura, desenvolvimento e mercado (2015-2019); orientador de projetos integrados na pós-graduação Cultura, Educação e Relações Étnico-Raciais, do CELACC USP; diretor de programação do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade (1997/1998) e um dos organizadores da 1a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (1997).

Desenvolveu consultorias e ações de formação para, entre outros, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, MIS – Museu da Imagem e do Som, Secretaria de Cultura de Santo André, Red Sudamericana de Danza, Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, Antonio Nóbrega, Goethe-Institut São Paulo, Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo, Biblioteca Mário de Andrade, SENAC, SESC, IPHAN, SISEM – Sistema Estadual de Museus de São Paulo, Instituto Brincante, Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Secretaria de Cultura e Economia Criativa de Registro e Fundação Cultural Cassiano Ricardo. Mais informações: linktr.ee/andrefonseca.

Serviço

Curso intensivo Gestão Cultural LGBTI+

Inscrições: até 23 de março, no site do Museu da Diversidade Sexual

Aulas: de 1º de abril a 13 de maio, às segundas e quartas-feiras, das 18h45 às 21h45. 

Carga horária total do curso: 36h, divididas em 12 encontros. Não haverá encontro no dia 20.04, em função do feriado prolongado de Tiradentes.

Local: Museu da Diversidade Sexual 

Estação República do Metrô, n° 24. R. do Arouche – República. São Paulo (SP).

O museu está localizado dentro da Estação República do Metrô, atrás da bilheteria. Piso Mezanino, loja 518.

Horário de funcionamento: De terça a domingo, das 10h às 18h.

Entrada gratuita.

Acessibilidade para pessoas com deficiência

Fonte: Museu da Diversidade Sexual