Inclusão: confira a 3ª Edição do Selo de Direitos Humanos e Diversidade

Objetivo do programa é incentivar empresas, entidades do terceiro setor e órgãos públicos a desenvolver iniciativas e políticas de diversidade e inclusão

Para incentivar empresas, entidades do terceiro setor e órgãos públicos com atuação em São Paulo a desenvolver iniciativas e políticas de diversidade e inclusão, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, apresenta a 3ª Edição do programa Selo de Direitos Humanos e Diversidade.

O prazo para a inscrição das propostas vai até 16 de agosto. O formulário para inscrição no programa está disponível aqui.  Para mais informações sobre o programa, clique aqui ou escreva para o e-mail smdhcselo@prefeitura.sp.gov.br.

O lançamento do edital deste ano ocorreu durante a webinar “A diversidade e a inclusão no mercado de trabalho em tempos de pandemia”, realizada no início do mês, em alinhamento às orientações das autoridades de saúde para a adoção de medidas de prevenção da transmissão do novo coronavírus.

O evento teve a participação da secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto, de Flávia Garcia, da Google Brasil Head de Diversidade para a América Latina, Renan Batistela, da Vagas com Comitê de Diversidade e Inclusão, e do advogado Thiago Amparo, professor e especialista da FGV em Direito, Políticas Públicas e Empresariais de Diversidade e Antidiscriminação. 

O programa tem como objetivo destacar as empresas e organizações que possuem as melhores práticas de promoção dos Direitos Humanos e valorização da diversidade. “A necessidade das organizações incentivarem práticas de inclusão e de responsabilidade social são ainda mais imprescindíveis no atual momento histórico de nossa sociedade, em que todos nós precisamos enxergar o outro com mais empatia e humanidade”, ressalta a secretária Claudia Carletto.

O Selo de Direitos Humanos e Diversidade reconhece iniciativas que se enquadrem em três áreas: Inclusão e Gestão da Diversidade – focada na contratação, promoção e proteção dos direitos humanos; Responsabilidade Social, buscando iniciativas voltadas à comunidade e sociedade; e  Imagem e Posicionamento, com iniciativas voltadas à comunicação, marketing e desenvolvimento de produtos e serviços.

As iniciativas precisam atender a uma ou mais categorias do programa: Criança e Adolescente; Egressos do Sistema Prisional e Pessoas Privadas de Liberdade; Igualdade Racial; Imigrantes; Juventude; LGBTI; Mulheres; Pessoas com Deficiência; Pessoas em Situação de Rua; e Pessoas Idosas.

Para se inscrever no Selo é necessário que a organização preencha um formulário com questões referentes à iniciativa, assine um termo de referência e encaminhe material de apoio (fotos, vídeos, cartilhas) para a comissão de seleção. Após esta etapa, a comissão realizará a escolha das iniciativas e divulgará uma lista com todas aquelas contempladas pelo Selo.

O que é o programa

O Selo de Direitos Humanos e Diversidade é uma iniciativa que embasa a principal missão da pasta que é a de formular, articular e coordenar a Política Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, de forma transversal, interseccional, participativa e com respeito à diversidade, por meio da promoção e defesa de direitos, em benefício da população, com atenção especial às pessoas em situação de vulnerabilidade, visando a uma sociedade justa, igualitária, inclusiva, solidária e intercultural.

A defesa desses princípios perpassa pela garantia do direito ao emprego e apoio à subsistência do indivíduo, através de sua inserção no mercado de trabalho para a promoção da igualdade em direitos, ao permitir que as pessoas vivam com dignidade, respeito e construam sua noção de cidadania.

O programa Selo de Direitos Humanos e Cidadania pretende reconhecer e promover boas práticas a partir da criação de um banco de dados para ser compartilhado com outras organizações e com a sociedade. Ele realiza isso por meio de uma premiação que prestigia essas iniciativas e posteriormente convida as empresas e organizações envolvidas para compor uma rede para troca de experiências e aprendizado mútuo. A primeira edição ocorreu em 2018.

O período de validade do selo é de um ano. As organizações que participaram em 2019 podem reinscrever os mesmos projetos – a fim de apresentar sua evolução – ou apresentar novas iniciativas.

Fonte: Prefeitura de São Paulo