IBRAM recebe cadastro de voluntários para situação de emergência em museus

Considerando a necessidade de colaborar com os museus em situações de emergência, como incêndios e enchentes, o Programa de Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado, do IBRAM, mantêm um banco de dados sistematizado, com informações sobre profissionais, estudantes e interessados na área de Museus e Patrimônio, para atuarem em momentos de tragédia, auxiliando as equipes das instituições a ampliarem a força de trabalhado e agirem rapidamente no salvamento dos bens culturais atingidos.

Para isso, os interessados em colaborar com os museus nessas situações podem se inscrever no Banco de Voluntários preenchendo o formulário  com seus dados pessoais, sinalizar as áreas de interesse de atuação e enviá-lo para o e-mail bancodevoluntarios.pgr@museus.gov.br.

Os dados dos voluntários inscritos serão disponibilizados às instituições museológicas apenas em situações de emergência, respeitando-se a confidencialidade dos dados, bem como a localização dos voluntários e o museu atingido.

Portanto, trata-se de uma iniciativa de resposta a emergências, tendo como principal diretriz o apoio à formação de forças-tarefas para o salvamento de coleções musealizadas. Essas forças-tarefas serão coordenadas pelas próprias instituições atingidas e os dados dos voluntários inscritos serão repassados pelo IBRAM para a gestão do museu somente nessa ocasião.

O IBRAM ressalta que os voluntários inscritos receberão informações sobre capacitações e orientações técnicas que possam colaborar na sua atuação em situações de emergência. Por isso, é necessário manter os dados sempre atualizados.

Atuando em forças-tarefas

Nos últimos anos, houve uma série de episódios infelizes nos museus brasileiros, sendo um dos mais trágicos o incêndio do Museu Nacional, em setembro de 2018. Ainda assim, a experiência de atuação dos profissionais do IBRAM em conjunto com a equipe do Museu levou à produção de um modelo-base de formação de força-tarefa para atuar no salvamento das coleções.

Baseado nesse modelo, a inscrição no Banco de Voluntários solicita ao interessado a sinalização das áreas que mais possui interesse, afinidade e/ou formação. Apesar de não exigir experiência para a inscrição, essa sinalização pode facilitar a convocação dos voluntários para atender determinadas demandas.

Veja abaixo as áreas elencadas para fins de inscrição no Banco de Voluntários: Área 1 – Apoio a comunicação e informação, Área 2 – Salvamento de bens musealizados, Área 3 – Serviço de proteção e segurança, Área 4 – Arquitetura e Engenharia e Área 5 – Administração e logística. Confira a descrição de cada uma delas clicando aqui.

Os voluntários inscritos não substituirão a força de trabalho daquele determinado museu, mas ajudará a ampliar a equipe interna em casos emergenciais, de modo a acelerar o salvamento das coleções.

Fonte: IBRAM