Ibermuseus realiza webinário Museus e Direitos Humanos. Abrigar e dispor as memórias do passado traumático

Em consonância com a apresentação da candidatura do Museu Sítio de Memória ESMA da Argentina ao Patrimônio Mundial da UNESCO, o Programa Ibermuseus e o Ministério de Cultura da Argentina realizarão o webinário “Museus e Direitos Humanos. Abrigar e dispor as memórias do passado traumático” no dia 10 de novembro. O evento será transmitido a partir das 11h (horário de Buenos Aires), no canal do Ibermuseus no YouTube.

Esse debate propõe a troca de experiências sobre gestão museológica e curatorial de histórias violentas e traumáticas na América Latina. Serão abordados o processo de recuperação e patrimonialização de sítios de memória nos casos da Argentina, Equador, El Salvador, Espanha e Uruguai.

Os depoimentos presentes ou por ausência de vítimas de terrorismo de Estado, massacres, crimes contra a humanidade e conflitos armados na história recente são fontes privilegiadas para a projeção do “Nunca mais” de determinados lugares para o mundo. Mas quais espaços públicos e dispositivos de exibição são mais eficazes para narrar a história recente? Como administrar a memória conflituosa de sociedades privadas de direitos humanos e que ainda precisam ser suturadas? Que formas e formatos, que vozes e palavras, que imagens e sons podem ligar quem não viveu a essas experiências? Que estratégias ajudam a promover acordos na dinâmica das memórias conflitantes?

Estas serão algumas das questões que orbitarão neste encontro, que parte da consideração de que uma museologia sensível pode colaborar na justiça, é capaz de fomentar a construção sempre presente da memória e deve persuadir da responsabilidade coletiva na defesa dos direitos humanos.

Com moderação de Viviana Usubiaga (Diretora Nacional de Gestão Patrimonial , Argentina), o evento contará com a participação de Alejandra Naftal (Diretora-Executiva do Museu Sítio de Memória – ESMA, Argentina), Elbio Ferrario (Diretor do Museu da Memória de Montevidéu, Uruguai), Maria Gabriela Mena Galárraga (Diretora-Executiva do Museu Nacional do Equador), Ariana Ninel Pleitez (Curadora de exposições sobre Memória e Direitos Humanos, Ministério de Cultura, El Salvador) e Montserrat Iniesta González (Diretora do Born Centro de Cultura e Memória, da Espanha).

Fonte: Ibermuseus