Gente Arteira debate sobre patrimônio e memória

5.encontrocaixacultural

Patrimônio cultural e histórico e memória individual e coletiva são tema principal entre as oficinas de dezembro na CAIXA Cultural São Paulo

 

Neste mês de dezembro, o programa de arte-educação Gente Arteira terá a memória e o patrimônio como temas centrais de várias atividades na CAIXA Cultural São Paulo. Para começar, a dançarina e educadora Vanessa Cibele ministrará duas oficinas de dança para estudantes a partir de sete anos durante todo o mês.

A primeira, tem como tema o Maracatu, dança folclórica típica de Pernambuco. Na segunda oficina, o Maculelê, dança criada por capoeiristas, oriunda da cidade de Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Além dos exercícios corporais e jogos teatrais, será contada a história de cada ritmo e sua relação com a formação cultural do país.

Baseadas em técnicas e exercícios teatrais, as oficinas Histórias com chá e Um quindim para o meu avô têm como público-alvo os idosos, nos dias 6 e 7 de dezembro. Nelas, a atriz e dramaturga Janaína Santos trabalhará com o resgate da memória individual e o seu compartilhamento entre os participantes, partindo de crônicas de sua autoria.

A importância do patrimônio cultural é o tema de dois eventos relacionados à Capela de São Miguel. Localizada na zona leste de São Paulo, essa pequena igreja, fundada em 1622, é considerada a mais antiga do estado São Paulo. As oficinas Patrimônio: Nossas heranças e Encontro: Capela de São Miguel e o patrimônio cultural serão voltadas para estudiosos em arqueologia, história, filosofia e patrimônio cultural.

Dando sequência à programação, dia 16 de dezembro, o fotojornalista Marcos Issa ministrará a oficina Preservação e gestão de acervos fotográficos digitais que tem por objetivo ensinar fotógrafos e estudantes de fotografia as boas práticas na gestão dos acervos digitais.

Partindo das histórias de vida dos participantes, o curso Narrativas memorialistas pretende transportar essas histórias para o papel e transformar suas memórias em narrativas escritas. Essa metodologia de história de vida é utilizada pelo Museu da Pessoa, fundado em São Paulo, em 1991, que coleta relatos de vidas de atores sociais, cujos depoimentos formam esse museu virtual e colaborativo de histórias de vida.

Dia 3 de dezembro, será realizada a oficina “Memória, arte e história, voltada a professores. Para o mesmo público, a oficina Mediação cultural e curadoria educativa, também no dia 3, trata do debate sobre os caminhos possíveis para que os educadores, seja de espaços formais ou não formais, estabeleçam um diálogo com o público visitante de museus e demais espaços culturais.

Fechando a série de atividades voltadas à memória e ao patrimônio, o museólogo e doutor em ciências sociais Mário de Souza Chagas apresenta um curso sobre Museologia social que trata de questões sobre o patrimônio cultural e a memória. Direcionado aos educadores, estudantes de museologia, museólogos e interessados em geral, o evento busca fazer uma reflexão sobre a memória dentro do espaço museológico e a democratização dessa memória, extrapolando as paredes do museu, se faz importante. O oficineiro trará elementos de sua própria experiência no Rio de Janeiro, como colaborador do Museu de Favela (MUF).

Oficinas Gente Arteira em dezembro
CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111, Centro, São Paulo/SP
Inscrições: individuais pelo e-mail supervisao.sp@gentearteira.com e agendamento para grupos pelo telefone (11) 3321-4400
Capacidade: de 25 a 40 pessoas

Fonte: Caixa Cultural