Garagera leva rock n’ roll ao Museu da Imagem e do Som em novembro

4.GarageranoMIS
 
Festival independente está na sétima edição e traz quatro bandas para se apresentar
gratuitamente, no MIS SP, dia 5/11. A plataforma itinerante mantém a pegada que a
transformou em referência na cena do rock autoral contemporâneo no estado
 
O Garagera (antigo Garageira) desbrava o coração do Jd. Europa, no próximo dia 5 de novembro, após abrir espaço para o rock independente nos bairros do Bixiga e República, inclusive com palco próprio na Virada Cultural deste ano. O Museu da Imagem e do Som – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – abre sua programação para receber o festival itinerante, que nesta edição traz quatro bandas: Sleeping Sapiens (SP), Readymades (SP), Mary O And The Pink Flamingos (RS) e Hellbenders (GO). O evento começa às 15h do sábado e a entrada é gratuita.
 
O festival independente é uma produção do bar Mandíbula, que já realizou seis edições desde 2014, normalmente firmando parcerias com outros bares (Espaço 13 e Paribar) ou feiras como a Jardim Secreto. Essa edição vai ser a primeira produzida sem parceiros, contando apenas com o apoio logístico e o espaço do MIS/SP. Para o ano que vem os sócios na empreitada, André Bandim e Bruno Bocchese, garantem que o Garagera deve ganhar corpo, mais estrutura e incluir mais bandas internacionais na programação, como já aconteceu em edições passadas, com a Dirty Coal Train (Portugal), The Tremolo Beer Gut (Dinamarca), The Anomalys (Holanda), The Courettes (Brasil/Dinamarca).
 
BANDAS CONFIRMADAS GARAGERA #7 (5 DE NOVEMBRO)
Sleeping Sapiens
O Sleeping Sapiens começou como uma desculpa para dois grandes amigos se juntarem aos finais de semana e tocarem suas músicas. Johann Vernizzi (voz e guitarra) e Luiz Felipe Santos (voz e bateria) se conheceram na 4a série e desde então tocaram juntos em várias bandas pela infância e adolescência. Em 2011, Johann começou a tocar na banda Veronica Kills e Luiz passou a discotecar em várias festas como a Alt Hop, de Hip Hop alternativo. Em 2013, sentindo falta de tocarem juntos, eles resolveram fazer um projeto novo influenciado por algumas de suas bandas preferidas,
como Ty Segall, Black Lips, Thee Oh Sees, Wavves, ventre outras. Em uma semana escreveram, ensaiaram e gravaram o primeiro EP. Após algumas apresentações ao vivo, o Sleeping Sapiens foi convidado para gravar seu segundo EP no Family Mob Studios, pelo projeto Converse Rubber Tracks, e tem previsão de lançamento para o final de 2016. Em setembro de 2016, Yann Costa e Silva passa a integrar o Sleeping Sapiens, tocando guitarra oitavada. https://sleepingsapiens.bandcamp.com/
 
Readymades
Baseando-se no conceito de Ready-made de Marcel Duchamp, as artistas plásticas Priscila Jung e Alinne Anno, ignorando o fato de que não tocavam formalmente nenhum instrumento, decidiram formar uma banda. Dividiram a ideia com Rafael Carozzi (guitarrista e vocalista da banda de indie rock / shoegaze Kid Foguete) que topou imediatamente participar do projeto, porém com uma condição: que ele também assumisse um papel de experimentador, abrindo mão do instrumento que
lhe é natural (a guitarra) e assumindo a bateria. Priscila (agora guitarrista e vocalista) e Alinne (no papel de baixista) sempre usaram sua intimidade como alimento de suas respectivas produções artísticas, e isso se reflete nas letras das músicas. A música do Readymades não tem filtros. O resultado transita entre disco, post-punk, indie rock e rock’n roll. https://readymadestheband.bandcamp.com/
 
Mary O And The Pink Flamingos
As canções de Mary O remetem ao universo kitsch dos filmes de John Waters e suas trilhas sonoras compostas com muito rockabilly, garage surf e punk. Em 2011, chamou os amigos Bino (bateria) e Jardas (baixo) e formou a banda Mary O and The Pink Flamingos para dar vazão às experimentações que já vinha realizando em seu estúdio caseiro Dona Neca Records. A primeira apresentação da banda foi em dezembro de 2011 em Porto Alegre e a partir daí tocaram em festivais como Grito Rock Porto Alegre (março/2012), 11º e 13º edições do Primeiro Campeonato Mineiro de Surfe em Belo Horizonte (abril/2012 e maio/2014), Festival Morrostock em Sapiranga (outubro/ 2012) e Grito Rock Caxias (fevereiro/2013), além shows em São Paulo e Curitiba. A banda tem uma split tape lançada na Itália pelo selo Rotten Babuino (2014) e uma faixa na coletânea de garage surf & rock primitivo brasileiro, Weirdo Fervo!, lançada em vinil 12″ (2015). https://maryoandthepinkflamingos.bandcamp.com/
 
Hellbenders
O quarteto surgiu da cena underground de Goiânia e mistura elementos diversos do punk, stoner e hard rock setentista para criar uma identidade sonora própria. Como resultado tem-se um som marcado pro extremos: grooves rápidos e explosivos, riffs quebrados e melódicos. Em 2011, foi convidada para ser a banda de abertura do show único da turnê de volta do Kyuss Lives! no Brasil – lendária banda americana tida como precursora do Stoner Rock no mundo. Após isso, dividiu palco com outras atrações internacionais renomadas, entre elas: Exodus, Kadavar, Radio Moscow, Truckfighters, Nashville Pussy e Ignite. Através de seu primeiro disco “Brand New Fear”, produzido por Carlos Eduardo Miranda (Sepultura, Nação Zumbi, O Rappa, Skank…) o Hellbenders
alcançou notoriedade, tendo participado de grande parte dos principais festivais de música brasileiros: Abril Pro Rock, Bananada Festival, Festival Dosol, Goiânia Noise Festival, entre outros.
 
Serviço:
 
Garagera #7 no MIS SP
 
Data: 5 de novembro, a partir das 15h
 
Ingresso: Gratuito (distribuídos 1 hora antes do evento, no local)
 
Sujeito a lotação
 
 
 
Museu da Imagem e do Som  – MIS
 
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo
 
Telefone: (11) 2117-4777
 
Fonte: Assessoria de imprensa | SEC
Imagem: Divulgação