Galeria londrina promoverá exposições de artistas brasileiros e africanos

A galeria londrina Tate Modern abrigará nos próximos dois anos uma exposição projetada a partir de uma seleção de obras de artistas da África, da América Latina e do Oriente Médio, em uma tentativa de diversificar e internacionalizar ainda mais sua coleção de arte contemporânea. 

Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira, o diretor da galeria, Nicholas Serota, anunciou a aquisição de obras de artistas como o belga radicado no México Francis Aoÿs, a peruana Sandra Gamarra, o libanês Saloua Raouda Choucair e o egípcio Hala Elkoussoy, que serão exibidas em Londres durante 2013 e 2014. 
 
O objetivo “é construir um panorama muito mais completo de arte contemporânea ao redor do mundo, que vai além de obras de artistas europeus e norte-americanos”, explicou Serota. 
 
Neste sentido, a Tate Modern organizará uma série de exposições em colaboração com a Pinacoteca de São Paulo, que começará com uma mostra de obras da artista suíça radicada no Brasil Mira Schendel, que será inaugurada em Londres em 2013 e em São Paulo em 2014. 
 
Além disso, a galeria também dará início, neste mês, ao projeto “Across de Board”, com o qual pretende promover o trabalho de artistas africanos. A exposição será inaugurada com os trabalhos do nigeriano Otobong Nkanga e do angolano Nàstio Mosquito. 
 
No próximo ano, a Tate Modern dedicará uma parte de seu edifício a dois artistas contemporâneos africanos de maior renome internacional, o beninense Meschac Gaba e o pintor sudanês Ibrahim El-Salahi. 
 
Divulgação
Fachada da Tate Modern, em Londres, que terá exposição de artistas da África, América Latina e Oriente Médio
 
Fonte: Folha de S. Paulo