Fronteiras Incertas: arte e fotografia no acervo MAC USP

head

MAC USP Nova Sede

Exposição apresenta cerca de 120 trabalhos de artistas como Waldemar Cordeiro, Hudinilson Jr., Antoni Mikolajczyk, Claudia Andujar, Maureen Bisilliat, Cris Bierrenbach, Heiner Kielholz, Odires Mlászho, Misha Gordin, Mario Cravo Neto, Luiz Braga e David Hockney, entre outros.

Um dos principais desafios do MAC USP é refletir de forma crítica sobre o legado que nos deixaram as várias vertentes da arte das últimas décadas e suas supostas superações. De que maneira? Colocando determinadas obras produzidas há algum tempo em franco confronto com a produção mais atual. Neste sentido, Fronteiras Incertas: Arte e Fotografia no Acervo do MAC USP , com curadoria de Helouise Costa, responde a esse propósito, fazendo aderir à produção mais recente uma espessura histórica, uma espécie de “antes” pouco conhecido pelo meio artístico em geral apenas preocupado com o “agora”.

O “novo” na arte – tão propalado pelos meios de divulgação massiva, que entendem a obra de arte apenas como mais uma mercadoria, sem passado e sem futuro, a ser rapidamente consumida e descartada –, necessita ser continuamente revisto. A produção artística atual carece de uma instância que lhe confira certa dimensão temporal, uma espécie de âncora que a impeça do descarte já na próxima feira. Uma instância que a resgate do descarte rápido, que lhe confira, enfim, substância histórica.

O museu de arte contemporânea, enquanto instituição, deve ser esta instância e o MAC USP vem reivindicando para si este papel: ao receber criticamente o “novo”, amalgamando-o às obras que o pressupõem, ou que dele parecem nem fazer ideia, sublinha que as transformações na arte – felizmente! –, tendem a caminhar de maneira menos célere, diferente do universo da mercadoria pura e simples.

Tadeu Chiarelli

Diretor

Fonte: MAC USP