Férias: Museu de Arte Moderna de São Paulo tem programação cultural e educativa

Ao longo do mês, o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) apresenta programação on-line e presencial voltada às famílias, professores, educadores e estudantes. As atividades são desenvolvidas dentro do ambiente cultural artístico do museu, com programação do universo infantil abordando temas como a cultura popular, gênero e diversidade étnica.

Oficinas, contação de histórias e brincadeiras ficam a cargo do MAM Educativo, que convida crianças e seus acompanhantes para participarem das atividades da Família MAM, programação voltada para as férias escolares. Além da exibição digital, parte da programação presencial envolve os encontros de formação para professores, educadores e estudantes.

No Domingo MAM, próximo ao dia dedicado à Visibilidade Trans, acontece uma oficina presencial na Marquise do museu com Nuna Narciso, e uma conversa virtual com a educadora e artista multimídia Luna Aurora Souto sobre TransVersalidades nas artes pelo programa de formação Contatos com a arte.

Programação

12/01 (qua), às 18h

Programa de Visitação / Arte e Ecologia

Ateliê Ninho: criação de passarinhos com elementos da natureza

No Instagram e YouTube do MAM.

Quem nunca ouviu o canto de um passarinho ao visitar o Jardim de Esculturas do MAM? Lá, eles brincam, cantam e encantam quem passa a caminho do museu. Este vídeo da oficina realizada pelo MAM educativo, Ateliê Ninho: criação de passarinhos com elementos da natureza, é um convite à observação atenta dos pássaros que voam pelos jardins e paisagens do entorno.

Após essa observação, colete folhas, flores, galhos e outros elementos da natureza que encontrar já reunidos no chão para realizar a construção de pequenos pássaros. Após estruturar corpo, asas e bicos, experimente construir gambiarras (com os materiais que tiver em casa) que permitam o seu passarinho alçar voo.

13/01 (qui), às 15h

Família MAM / Arte e Ecologia

Brinquedos da terra: oficina de construção de brinquedos com MAM educativo

Atividade presencial para crianças a partir de 2 anos acompanhadas pelos responsáveis.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

A terra é um elemento que sustenta a vida. É a partir dela que as árvores surgem, as águas caem e nós caminhamos. Assim, propomos olhar para ela como uma ferramenta do brincar. Esta oficina presencial é um convite aos participantes para investigarem o que a terra nos entrega e, assim, criarem brinquedos que partam dela.

Seria um jogo com pedras? Uma boneca de galho? O fazer é livre e o brincar também, em uma proposta inspirada em muitos artistas e educadores referências para nós: Gandhy Piorski, Adelsin, Anna Marie Holm etc.

15/01 (sáb), às 15h

Família MAM (Férias no MAM) / Arte e Ecologia

Contação de histórias: Os curupiras e os gentes de pedra, com Anderson Kary Báya

Atividade presencial, livre. Aberta ao público, sem inscrição prévia.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Na era dos gentes de pedra, um casal jovem se perdeu na floresta e parou na casa do Curupira. Surpreenderam-se ao conhecer o outro lado do Curupira, onde todos os utensílios da casa tinham vida, e no seu espelho mágico ele monitorava todos os seus vizinhos, gentes de pedra. Este é um convite a uma contação de história que nos aproxima das narrativas originárias dos nossos povos.

Anderson Kary Báya é artista indígena de Iauaretê (AM), pesquisador da cosmovisão, das danças, dos cantos e dos grafismos de seus povos Tariano e Tukano. Iniciou suas atividades artísticas, oficialmente, em 2003, atuando como músico no grupo de artes Dyroá Báya. Depois disso teve suas primeiras experiências no teatro e dança com a Cia. Uatê. Em 2008 iniciou suas participações no cinema e na TV, em curtas, longas metragens e seriados.

Atualmente, organiza vivências diversas relacionadas às culturas indígenas em comunidades pedagógicas formais e não-formais, e é artista-educador do Programa de Iniciação Artística (PIÁ – 2021, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo).

18/01 (ter), às 15h

Família MAM (Férias no MAM)

Pintura de retalhos: oficina com MAM educativo

Atividade presencial para crianças a partir de 4 anos acompanhadas dos responsáveis.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Já parou para observar a quantidade de possibilidades que um tecido guarda em si? Desde uma roupa que nos veste, ao lençol que nos cobre, as cortinas nas janelas, as toalhas de piqueniques etc.

Tecidos também podem guardar memórias e nos contar histórias. Nesta oficina presencial, o MAM educativo propõe o olhar curioso para os retalhos de tecidos em seu ateliê. No lugar da tinta, procuraremos por estampas, cores e texturas em tecidos para a composição dessa pintura de retalhos. Venha participar dessa atividade!

19/01 (qua), às 16h

Contatos com a arte (Volta às aulas)

Arte Popular, encontro virtual com Cristina Fernandes

Atividade virtual no Zoom para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.

O link do evento é enviado no dia por e-mail com 1h de antecedência do evento.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Para certificado, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br após o evento, com comprovante de inscrição em anexo.

Se a história da arte tratou de classificar e hierarquizar as produções artísticas, qual o papel de educadores, pesquisadores, críticos e curadores ao tratar de categorias e conceitos que seguem em disputa no nosso sistema mundo? Neste encontro virtual, trataremos de conceitos e temáticas como arte popular, artesanato e primitivo, em seus percursos históricos e como possibilidades de uma pedagogia que reconheça os diferentes fazeres artísticos e suas potencialidades.

Cristina Naiara Fernandes é graduanda em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo, atua como educadora não formal em espaços expositivos e desenvolve pesquisa sobre a temática da arte popular e o mercado da arte como tentativa de construir novas narrativas e pensar as hierarquias presentes.

Link para inscrição.
 

20/01 (qui), às 15h

Família MAM (Férias no MAM) + Arte e Ecologia

Percurso criativo com elementos da natureza, oficina com MAM educativo

Atividade presencial para crianças a partir de 3 anos acompanhadas por responsáveis.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Quais técnicas e possibilidades podemos experimentar a partir de materiais disponíveis na natureza? Essa atividade presencial propõe o olhar investigativo para as texturas, cheiros e formatos dos elementos da natureza, a partir de um convite para se experimentar técnicas em que folhas, flores, galhos etc., que estejam disponíveis no espaço, se tornem matéria-prima para composições de imagens. Nesse percurso criativo iremos conhecer as técnicas de carimbos naturais, frotagem e colagem.

23/01 (dom), das 12h às 17h

Domingo MAM

Breaking Ibira: batalhas de breaking

Atividade presencial, livre, na Marquise do MAM.

Inscrições na hora e no local.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Um encontro de dançarinos com o objetivo de confraternizar em sua expressão legítima de dança, onde os dançarinos praticam sua arte de maneira livre num ambiente repleto de músicas voltadas para o segmento do hip-hop.

Breaking Ibira é um evento criado por b.boys que tem por objetivo reunir b.boys e b.girls, amantes da cultura urbana e do hip-hop, assim como de outras modalidades artísticas, para encontrar desafios através da dança e expressar sua criatividade e habilidade em suas sessions (sequências organizadas de passos de breaking). Desde 2017, em parceria com o MAM educativo, o evento tem atraído pessoas de diversas regiões de São Paulo e um público significativo, tanto de praticantes de breaking quanto de admiradores da cultura de diversas regiões, inclusive de países da América Latina como Argentina, Peru e Venezuela.

26/01 (qua) às 15h

Família MAM (Férias no MAM

Objetos voadores: oficina de barangandão arco-íris e pipa com MAM educativo

Atividade presencial para crianças a partir de 3 anos acompanhadas pelos responsáveis.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Nesta oficina presencial, vamos dar materialidade e forma a experiências do voar. Brinquedos e brincadeiras como barangandão arco-íris e soltar pipa serão propostos e construídos com muita inspiração em suas histórias e narrativas populares.

26/01 e 02/02 (qua), às 15h

Formação em arte e acessibilidade

O desenho e o livro sem fio, oficina com Coletivo Mão Dupla

Atividade presencial, para professoras(es), educadora(es), pesquisadoras(es) e estudantes. Com inscrição prévia.

Com intérprete de Libras.

Para certificado, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br após o evento, com comprovante de inscrição em anexo.

Oficina presencial em dois encontros com o Coletivo Mão Dupla. No primeiro (26/01), será realizada uma apresentação de referências visuais e experimentações do coletivo. No segundo, (02/02), a proposta é que cada participante utilizará papel e caneta para desenhar, tendo as costas uns dos outros como apoio, em fila, como um telefone sem fio. Um primeiro participante inicia o desenho e os demais devem tentar copiar pela sensação tátil das costas. Ao final, os desenhos se tornarão um mini livro.

Coletivo Mão Dupla é o trânsito entre língua de sinais e artes visuais. É um coletivo de artistas surdos e ouvintes que desenvolve pesquisas teóricas e práticas através da visualidade. Com o objetivo de propor encontros entre surdos e ouvintes, divulgar a Libras e as culturas surdas, cultivar a acessibilidade na cultura para além dos eixos centrais e estimular a produção artística de pessoas surdas, realiza diversas ações.

Dentre elas, publicações, oficinas, murais, poesias, Slam e rodas de conversa. Em 2019, o projeto foi contemplado pelo edital Aluno-Artista do SAE-Unicamp, e em 2020 realizou uma parceria com o projeto Ainda Algo Antes de Deitar, de Lucas Michelani, pelo ProAC. Em 2021 participou da programação artística do Festival de Culturas Surdas do Itaú Cultural.

Bruno Vital, surdo, é formado em artes visuais, com curso de extensão em Culturas Surdas na Contemporaneidade: Criações e Vivências Artísticas (2019), promovido pelo Itaú Cultural em parceria com o Instituto Singularidades.

Foi educador de acessibilidade no Sesc Belenzinho (2015) e participou como educador de acessibilidade cultural em diversas instituições culturais como Sesc SP, Fundação Bienal, Instituto Tomie Ohtake e MIS SP. Atua no desenvolvimento de ações colaborativas, tendo realizado a exposição Utopias fragmentadas: anomalias cotidianas, na Comuna Sagaz (São Paulo). É artista integrante do coletivo Mão Dupla.

João Pedro Acciari, surdo de nascença e usuário de implante coclear desde os 5 anos de idade, cresceu convivendo com a família e amigos ouvintes, até que aos 17 anos teve contato melhor com a língua de sinais (Libras), ficou fluente e começou a transitar entre os universos ouvinte e surdo. Desde criança gosta de desenhar, pintar, e todos os tipos de artes. Formado em Design Gráfico desde 2019, atualmente trabalha na área e também como ilustrador. É artista integrante do coletivo Mão Dupla.

27/01 (qui), às 16h

Contatos com a arte (Volta às aulas)

Costura de memórias: oficina de tear com Amanda Falcão

Atividade presencial para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência. 

Tecidos e saberes costuram diálogos entre diferentes gerações. As artes têxteis e manuais propõem o desaceleramento do ritmo presente nos grandes centros urbanos e nos convidam ao partilhar de memórias e histórias entre o coletivo.

Esse encontro presencial pretende abordar percursos sensíveis e subjetivos na arte de tecer e bordar em diversas culturas. Quantas histórias podemos guardar e contar através das linhas? Quais memórias estão presentes em nossas tecituras? Quais relações e caminhos possíveis entre o saber-fazer artesanal e os processos educativos?

Amanda Harumi Falcão é artista visual e arte educadora, bacharel em Artes Visuais e licenciada em Artes no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Já atuou em educativo de instituições culturais com exposições temporárias e, atualmente, faz parte do educativo do MAM São Paulo. Em suas pesquisas, busca costurar a relação entre memória e o fazer artesanal, como também investigar os processos sutis e interdisciplinares na mediação cultural e arte educação.

28/01 (sex), às 16h

Contatos com a arte (Volta às aulas)

TransVersalidades nas artes: introdução e panorama de artistas transfemininas brasileiras, com Luna Aurora Souto

Atividade virtual no Zoom para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.

O link do evento é enviado no dia por e-mail com 1h de antecedência do evento.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Para certificado, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br após o evento, com comprovante de inscrição em anexo.

Conversa mediada motivada pelo trabalho de duas artistas presentes na exposição 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão, ocorrida em 2019 no MAM: Vulcanica Pokaropa e Rosa Luz. A partir de suas obras, o encontro virtual, próximo ao dia da Visibilidade Trans, tem intuito de apresentar e introduzir uma curadoria de artistas transfemininas de diversas linguagens, assim como fruir e criar pontes entre suas poéticas. 

Luna Aurora Souto é educadora e artista multimídia com enfoque na palavra. Estuda Letras – Português/Espanhol na Universidade de São Paulo. Pesquisa as interdisciplinaridades entre texto e imagem em articulação com os estudos de identidade de gênero. Em sua escrita e oralidade busca conjurar rebates antitransfóbicos e anticoloniais.

Link para inscrição

29/01 (sáb), às 11h

Contatos com a arte (Volta às aulas)

Visita à exposição “Os pássaros de fogo levantarão voo novamente. As formas tecidas de Jacques Douchez e Norberto Nicola”, com MAM educativo

Atividade presencial para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Visita educativa presencial na exposição Os pássaros de fogo levantarão voo novamente. As formas tecidas de Jacques Douchez e Norberto Nicola, que apresenta um conjunto de 26 obras em tapeçaria dos artistas Jacques Douchez e Norberto Nicola, a partir do Atelier Douchez-Nicola, ocorrido entre 1959 e 1980.

A mediação educativa enfatizará o aspecto tridimensional das obras como característica marcante nas criações dos artistas e entendidas eles próprios como “formas tecidas”, ampliando as reflexões em relação ao movimento modernista e evidenciando artistas que vieram depois dele, evidenciando também as práticas e os diálogos das artes têxteis e manuais com outras linguagens artísticas, como a pintura. 

29/01 (sáb), às 15h

Família MAM (Férias no MAM) + Arte e Ecologia

Versos plantados: caça à árvores no Ibirapuera, com MAM educativo

Atividade presencial para crianças a partir de 2 anos acompanhadas por seus responsáveis.

Inscrições com 30 minutos de antecedência com o MAM educativo na recepção do MAM.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.brcom até 48hs de antecedência.

Um percurso musical e investigativo para conhecer as árvores presentes no Parque Ibirapuera. Versos serão cantados e a partir deles a pesquisa será feita. A qual árvore aquele verso se refere? Quais características nos levam até aquela árvore? Um encontro para conhecer a flora do território Ibirapuera em meio ao Jardim de Esculturas do MAM São Paulo. 

30/01 (dom), às 15h30

Domingo MAM

Maquiagem enquanto Identidade, encontro com Nuna Narciso

Atividade presencial, livre, na Marquise do MAM.

Inscrições na hora e no local.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Afinal, para que serve o contorno? Onde se aplica o iluminador? Quais as relações das técnicas de maquiagem com a construção e expressão de identidade. E quem estipula as tecnologias estéticas? Próximo ao dia da Visibilidade Trans, nos encontramos nesta mesa redonda presencial na marquise do Parque Ibirapuera, para conversarmos sobre aplicação cosmética (com demonstração ao vivo), tendo como enfoque influências e criações de técnicas desenvolvidas por pessoas trans, travestis e transformistas.

Nuna Narciso é artista visual, educadora e maquiadora autodidata. Acolhe em suas produções temáticas acerca do corpo trans e do corpo gordo e como essas dissidências sociais podem ser transmutadas em potências artísticas. 

03/02 (qui), às 16h

Contatos com a arte (Volta às aulas) + Arte e Ecologia

Saberes da floresta, formação para educadores com Cristine Takuá

Atividade virtual no Zoom para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.

O link do evento é enviado no dia por e-mail com 1h de antecedência do evento.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Para certificado, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br após o evento, com comprovante de inscrição em anexo.

A educadora indígena, filósofa e artesã Cristine Takuá propõe a formação de educadores para a ampliação dos saberes sobre os povos originários, a diversidade de suas cosmovisões e suas formas de bem-viver junto à natureza, problematizando as práticas de ensino-aprendizagem a partir dos valores dos direitos humanos e socioambientais.

Neste encontro virtual com Takuá, será abordada a relação das crianças com a natureza nas comunidades indígenas a partir do compartilhamento de experiências práticas de ensino-aprendizagem das temáticas indígenas em ambientes educacionais formais e não-formais, com apresentação de conhecimentos introdutórios sobre as múltiplas realidades dos povos indígenas no Brasil. 

Cristine Takuá é professora indígena. Formada em Filosofia pela UNESP (Marília, SP), ministra aulas de Filosofia, Sociologia, História e Geografia na EE Indígena Txeru Ba’e Kua-I, DER Santos, pertencente à Terra Indígena Ribeirão Silveira, que se localiza na divisa dos municípios de Bertioga e São Sebastião.

04/02 (sex), às 16h

Contatos com a arte (Volta às aulas)

Visita mediada virtual à exposição Samson Flexor: além do moderno, com MAM educativo

Atividade virtual no Zoom para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.

O link do evento é enviado no dia por e-mail com 1h de antecedência do evento.

Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Para certificado, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br após o evento, com comprovante de inscrição em anexo.

Visita mediada virtual à exposição Samson Flexor: além do moderno, de curadoria de Kiki Mazzucchelli, que reúne um conjunto significativo de obras da fase tardia do artista, lançando luz sobre um período menos conhecido de sua produção e evidenciando o um trabalho que enfrentou os desafios éticos e estéticos de seu tempo, e cujo legado permanece contemporâneo.

Essa proposta educativa pela programação Voltas às aulas do programa Contato com a arte apresentará por meio de abordagens artístico pedagógicas a primeira exposição de Flexor que tem como foco o desenvolvimento de sua obra a partir de 1957, quando passou a rejeitar as formas estáticas, em pinturas onde gradualmente passaram a predominar o gesto, a opacidade e a transparência.

Fonte: MAM