Exposição Uma Fina Camada, sobre a atmosfera terrestre, chega ao Museu Catavento

O Museu Catavento recebe, de 29 de junho a 28 de julho, a exposição imersiva “Uma fina Camada”, que traz uma reflexão sobre a importância da preservação da atmosfera.

A vida na Terra só é possível graças à atmosfera, uma fina camada que envolve o planeta – composta por diferentes gases – e que controla a entrada de radiações nocivas, regula o clima e permite a fotossíntese e a respiração dos seres vivos. Apesar de tamanha importância, ela é, contudo, muito fina: possui cerca de um milésimo do diâmetro da Terra. Ou seja, se a Terra tivesse um metro de diâmetro, essa camada teria apenas um milímetro de espessura. Assim, pode-se imaginar a fragilidade desta parte do planeta que a humanidade vem, pouco a pouco, provocando mudanças profundas.

“Uma fina camada” foi exibida a primeira vez em 2015 e foi sucesso de público. Para a edição deste ano, uma nova instalação traz duas tendas em formato geodésico, interligadas. Na primeira, será apresentada ao visitante uma exposição de oito telas com fotografias em movimento, produzidas por Mário Águas, que se relacionam com a temática da preservação ambiental. Na segunda tenda, de 15 metros de diâmetro, será exibido um curta-metragem, com efeitos especiais de projeção espelhada panorâmica que envolve o espectador, simulando a atmosfera. As duas estruturas estão maiores: o auditório agora comporta até 60 pessoas sentadas e as telas de fotografias são de 50 polegadas.

Ao lado das tendas que serão montadas na área externa do Museu Catavento, está instalada há vários anos uma cabine de medição de qualidade do ar e de condições meteorológicas, estrutura da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), que poderá ser visitada e os monitores disponibilizarão informações no atendimento ao público.

O catálogo da exposição também foi reformulado, inspirado nas dinâmicas do Museu Catavento, e tem cunho educativo com objetivo de provocar o visitante, trazendo sugestões de atividades e curiosidades para que as pessoas saiam do universo da exposição e pesquisem para além dela.

A partir de agosto, por meio de parceria com o Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP), a exposição circula nos Pontos MIS de algumas cidades do interior paulista a serem definidas em conjunto com a administração de cada Ponto MIS contemplado no Estado. Em três destes municípios a exibição será acompanhada de palestra ministrada pelo biólogo, taxidermista e educador ambiental Roan Leonardo Luca. Graduado em ciências biológicas no CEUCLAR, na cidade de Batatais (SP), atua desde 2007 na área da educação e em projetos sociais com crianças, adolescentes e adultos. Roan compôs a equipe de “Melhores Interlocutores do Estado de São Paulo” no Projeto Município Verde Azul da Secretaria de Meio Ambiente.

“Com algumas reformulações e novidades, conseguimos qualificar a exposição para que ela atinja um público maior e de maneira mais democrática. A parceria com os Pontos MIS, por exemplo, vai permitir que o documentário seja exibido em formato de cinema para muito mais pessoas. A experiência de 2015 teve um êxito muito grande e, agora, estamos muito felizes em apresentar Uma Fina Camada num formato mais legal”, afirma Gabriel Mayor, diretor executivo.

O documentário

O curta-metragem, intitulado “Uma fina camada”, tem roteiro de Sérgio Pompéia e Jayme Serva, e traz imagens da natureza e do espaço, animações que narram o surgimento da atmosfera e sua importância para a vida no planeta. A combinação entre as animações e as imagens reais foi feita com software de composição digital. Efeitos especiais foram utilizados para simular nuvens, fogo, fumaça, chuvas e raios. Foram usadas também imagens das agências espaciais ESA, do Earth Timelapse preparado pelo astronauta Alexander Gerst, do projeto Goddard, da NASA. Imagens de natureza foram captadas na Reserva Betary, sede do IPBio (Instituto de Pesquisas da Biodiversidade), em Iporanga-SP.

“Nossa ideia é sensibilizar os visitantes para a necessidade de conhecermos melhor o ar que respiramos e podermos mudar atitudes e comportamentos para que a atmosfera mantenha a sua qualidade para todos os seres vivos”, afirma Pompéia.

Uma fina camada – Brasil, 2019, 17 min.

Direção e produção André Weissenbach

Roteiro: Sérgio Pompéia e Jayme Serva

Animação e efeitos especiais – Archimídia

Sonorização: Caco Faria

A experiência

Sucesso de público em 2015, a exposição “Uma fina camada” foi instalada pela primeira vez no Parque Villa Lobos, no mês de novembro. Na ocasião, recebeu mais de nove mil visitantes e teve patrocínio da Air Liquide e com apoio da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

“A mostra visa a despertar a consciência de crianças e adultos sobre a importância que o ar tem em nossas vidas. O projeto realça e fortalece o recente anúncio de todo o Grupo Air Liquide com a sustentabilidade em reduzir em 30% suas emissões de CO2 até 2025 vs 2015, atuando para uma indústria e uma sociedade de baixo-carbono.”, afirma o diretor-geral da Air Liquide Brasil, Alexandre Bassaneze.

SERVIÇO:

Exposição “Uma fina camada”

De 29 de junho a 28 de julho, de terça a domingo, das 9h às 17h – 20 sessões por dia.

Onde: Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP.

Telefone: (11) 3315-0051 – de segunda à sexta das 10h às 16h.

Atividade na área externa do museu – gratuita (senhas distribuídas no local)

Como chegar: www.cataventocultural.org.br/mapas.asp

Capacidade: 60 lugares na tenda de projeção e 70 lugares na tenda de fotografia

Fonte: Sec. de Cultura de SP