Exposição permanente do Museu de Salto recebe modificações

A mudança consistiu na retirada de antigos painéis e instalação de outros mais modernos e ilustrativos

Foram concluídos, nas últimas semanas de agosto, os primeiros trabalhos de reorganização e modernização da exposição permanente do Museu da Cidade de Salto. A mudança consistiu na retirada de antigos painéis e instalação de outros mais modernos e ilustrativos. Além deles, foi instalado um dispositivo – espécie de arara – com painéis de vidro, onde foram inseridos oito documentos relacionados ao Capitão Antonio Vieira Tavares, considerado o fundador de Salto.

Os novos painéis, três até o momento, se voltam para elementos importantes da cidade. O primeiro aborda a presença do granito na região – os chamados “matacões” -, determinante para o desenvolvimento na cidade da profissão de canteiro, profissional especializado no corte dessas pedras. O segundo destaca o Ytu-Guaçu (Salto Grande, em Tupi) e retrata a presença indígena nesta região. Já o terceiro painel conta a história do fundador da cidade, o Capitão Vieira Tavares. Esse painel traz ainda um recorte sobre foto aérea do território atual do município, mostrando qual seria a área coberta pelo Sítio Cachoeira, que pertencia ao fundador.
 
Um novo dispositivo, espécie de arara, foi criado especialmente para o Museu. Nele, foram instalados quatro painéis de vidro, adesivados na frente e no verso, que trazem documentos relacionados ao Capitão Vieira Tavares, como trechos dos assentamentos e respectivas transcrições do pedido para se erguer uma capela no Sítio Cachoeira e da doação destas terras à Igreja. Também foram instalados painéis com os brasões das famílias Vieira e Tavares, uma ilustração da árvore genealógica do fundador e uma ilustração explicativa do Monumento à Fundação, que está instalado na Praça Antonio Vieira Tavares.
 
Para acompanhar essas novas instalações, algumas peças do acervo foram realocadas, facilitando a compreensão por parte do visitante acerca do conteúdo exposto. Neste sentido, próximos ao painel relacionado ao granito foram colocadas pedras já cortadas, evocando o ofício de canteiro, e também exemplos de “matacões”. O mesmo foi feito em relação ao painel sobre o Ytu-Guaçu, onde foram instaladas as igaçabas, urnas funerárias indígenas encontradas pela cidade.
 
Os visitantes poderão ver estas modificações, bem como outras novidades preparadas pelo Museu da Cidade, além de exposições na Sala Giuseppe Verdi, de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas. Outras informações sobre o acervo da instituição podem ser encontradas no site www.salto.sp.gov.br/museu
 
Fonte: Itu.com.br