Exposição “Nós: 100 anos” homenageia 1º livro de poemas de Guilherme de Almeida

Em comemoração ao centenário do primeiro livro de poemas de Guilherme de Almeida, o Museu que leva o nome do escritor, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, apresenta a exposição Nós: 100 anos.  A mostra acontece a partir do dia 6 de junho, das 10h às 18h, e conta com as quatro edições do livro Nós e 12 obras de autores diversos lançados em 1917 – ano de estreia do livro de poesias de Guilherme de Almeida – tais como, Mário de Andrade, Amadeu Amaral, Julia Lopes de Almeida, Cassiano Ricardo, Alvaro Moreyra, Menotti Del Pichia e Felix Pacheco.

O principal destaque da mostra é o livro de poemas Nós, que levou Guilherme de Almeida à fama e narra uma história de amor entre dois personagens.  As ilustrações são de Correia Dias, artista plástico modernista. A primeira edição teve uma tiragem de 1.015 exemplares, sendo 15 de luxo, e esgotou-se rapidamente. Na época, foram escritas mais de 1.200 críticas na imprensa brasileira e portuguesa.

Guilherme de Almeida publicou o livro aos 27 anos, por insistência do poeta Amadeu Amaral, que reconheceu o talento do jovem promissor. Em junho de 1917, alguns dias após o lançamento da obra, Amadeu Amaral escreveu uma crítica no jornal Estado de São Paulo. “É um livro de estreia. Desse jeito até onde irá? Muito longe com certeza”.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurada em 1976, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro.

Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret.

Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país.

Para mais informações acesse o site do museu: http://migre.me/vFQfe

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Exposição Nós: 100 anos;
Curadoria de Ivanei Silva, Marlene Laky e Marcelo Tápia;
Abertura: 6/6, terça-feira;
Visitação: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h;
Recomendação etária: livre.

Casa Guilherme de Almeida
Museu: Rua Macapá, 187, Pacaembu;
Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943;
Telefone: (11) 3673-1883 / 3672-1391;
De terça a domingo, das 10h às 18h;
Site: www.casaguilhermedealmeida.org.br.

Fonte: POIESIS