Espaço que oferece apoio à busca por registros de migrantes é reaberto no Museu da Imigração

Neste mês, os visitantes do Museu da Imigração (MI) poderão participar de uma extensa agenda de atividades. A reabertura do CPPR, as iniciativas pela 20ª Semana Nacional de Museus e a inauguração de uma exposição com artistas do Congo, da Venezuela e do Brasil estão entre os destaques.

Fechado há mais de dois anos em virtude das medidas contra o contágio da covid-19, o Centro de Preservação, Pesquisa e Referência (CPPR) reabriu ao público no dia 3 de maio. No local, os visitantes têm a oportunidade de contar com o apoio de pesquisadores para localizar informações de antepassados migrantes, tendo como base o Acervo Digital da instituição.

O banco de dados é formado pela documentação da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, como registros de matrícula e listas de bordo. O espaço funcionará de terça a sábado, das 10h às 16h, exceto feriados. O atendimento não é cobrado, sendo necessário apenas adquirir o ingresso para visitar o Museu.

Integrando o calendário da 20ª Semana Nacional de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Núcleo Educativo do MI oferecerá a ação “Verdades e desafios de 1922”, entre os dias 17 e 22, sempre às 14h. Na proposta, um jogo de perguntas e respostas destacará a Semana de Arte Moderna de São Paulo e o Centenário da Independência do Brasil, assim como questionará a forma pela qual os acontecimentos ganham – ou não – popularidade.

Ainda em conexão com essa iniciativa, uma oficina colaborativa de frases autobiográficas acontecerá no dia 21 (sábado), às 15h. Nessa aula aberta, em parceria com o projeto English to Trans-form e a ONG LGBT+Movimento, os participantes construirão um painel com fragmentos de histórias pessoais.

Já no dia 23 (segunda-feira), das 10h30 às 12h, o Museu receberá a abertura da Semana da África, realizada em São Paulo em comemoração ao Dia da África, efeméride que marca a criação da União Africana (25 de maio de 1963).

Organizado pelo guineense Vensam Iala, CEO da Visto África, a programação propõe uma série de atividades com o objetivo de dar voz e visibilidade aos imigrantes africanos e aos trabalhos que desenvolvem nessa região. As exposições em cartaz estarão fechadas, mas os interessados poderão prestigiar o evento.

Com inauguração confirmada para o dia 28 (sábado), a mostra temporária Eu vim de lá, em parceria com a Folha de S.Paulo, consiste em uma instalação executada pelos artistas Shambuyi Wetu (Congo), Anaís Escalona (Venezuela) e Zé Vicente (Brasil).

Para criação e pesquisa, os profissionais convidados se debruçaram sobre os acervos fotográficos do MI e do jornal, abundantes em imagens que captaram diferentes períodos históricos da cidade de São Paulo. A abertura está marcada para às 11h no espaço contemporâneo, localizado na entrada da exposição de longa duração Migrar: experiências, memórias e identidades.

Na sequência, como parte da 17ª Virada Cultural, o jardim será o palco de uma apresentação da banda La Caravana Orquestra, às 12h. O grupo é formado por 11 instrumentistas de diferentes países, como Chile, Cuba, Venezuela e Brasil, dedicando-se ao rico repertório latino-americano nos seus mais variados matizes e vertentes.

Serviço

20ª Semana Nacional de Museus | Verdades e desafios de 1922

Datas: 17 a 22 de maio

Horário: 14h

Local: Museu da Imigração

20ª Semana Nacional de Museus | Oficina colaborativa de frases autobiográficas

Data: 21 de maio

Horário: 15h

Local: Museu da Imigração

Abertura Semana da África

Data: 23 de maio

Horário: 10h30

Local: Museu da Imigração

Abertura exposição temporária Eu vim de lá

Data: 28 de maio

Horário: 11h

Local: Museu da Imigração

17ª Virada Cultural | Apresentação La Caravana Orquestra

Data: 28 de maio

Horário: 12h

Local: Museu da Imigração

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP

CEP: 03164-300

Tel.: (11) 2692-1866

Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 18h, e domingo, das 10h às 18h (fechamento da bilheteria às 17h)

R$ 10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição – Não possui estacionamento

www.museudaimigracao.org.br

Fonte: Museu da Imigração