Ecomuseu de Maranguape lança primeiro aplicativo da Museologia Comunitária brasileira

Para lançar o primeiro aplicativo da museologia comunitária brasileira, o Ecomuseu de Maranguape realizará, no dia 1º de maio, às 15h, um webinar que será transmitido  via Google Meet e em sua página no Facebook.

O aplicativo do Projeto Consigo foi um dos vencedores do 11º Prêmio Ibermuseus de Educação. Nesta edição da premiação, realizada no ano passado, foram inscritos 210 projetos, de 13 países – Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru, Portugal e Uruguai.

Entre uma diversidade de propostas de alta qualidade e relevância educativa e comunitária, os 20 premiados tratam de temas como patrimônio histórico e cultural, infância, gênero, culturas nativas, novas tecnologias, além da própria pandemia. Destinam-se a um público amplo e diverso, atingindo homens e mulheres, crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, e nos quais são abordadas diferentes estratégias e ferramentas, demonstrando a multiplicidade de formas de trabalhar a educação museológica a partir da virtualidade.

O aplicativo disponibilizará, na palma da mão, o patrimônio cultural de Maranguape.

 O Projeto Consigo, Juventude e Patrimônio Cultural tem sua equipe formada por duas instâncias de coordenação. A Coordenação Geral, composta pela equipe do Ecomuseu de Maranguape e os Núcleos de Mediação, formados por técnicos, professore e estudantes de 25 Escolas Públicas da Rede Municipal de Educação de Maranguape.

No dia 21 de abril, a equipe de Coordenação Geral do Ecomuseu  e do Projeto Consigo reuniu-se virtualmente com 50 alunos e representantes das 25 escolas públicas que integram a iniciativa. Os estudantes do ensino fundamental II serão responsáveis, juntamente com seus pares, pela realização do Inventário Etnográfico do município. Na ocasião, foram apresentadas aos alunos a metodologia, os objetivos e o calendário das atividades de Educação Patrimonial do projeto.

No encontro também foi tratado sobre os diários de campo, método da pesquisa etnográfica que será utilizado pelos estudantes para a coleta de dados e informações sobre o patrimônio cultural local.

Os dados e informações obtidos na elaboração dos diários de campo serão incorporados ao aplicativo Consigo. Durante o encontro virtual também foram demonstradas as funcionalidades desta e das demais ferramentas digitais do projeto Consigo (site e cartografia do patrimônio cultural) que serão de importante valência para a fruição da cultura local.

Mais informações sobre o aplicativo Consigo serão divulgadas no webinário.

Fonte: Ecomuseu de Maranguape