Diálogos no Museu da Cidade é atração da Virada Cultural 2020

O programa Diálogos no Museu, do Museu da Cidade de São Paulo (MCSP) terá mais uma edição no dia 12 de dezembro, no Youtube.

Com início em 2019, o programa tem como objetivo concretizar a missão do Museu da Cidade de São Paulo por meio de debates e rodas de conversa. Coloca a cidade e seus territórios em foco, fomentando a discussão crítica acerca de diversos aspectos que se imbricam em sua conformação cultural.

Em virtude disso, são convidados atores sociais de diferentes áreas, de modo a possibilitar reflexões sobre o próprio contexto museal e também sobre os elementos que constituem a teia de relações que se expressam na cidade, levantando o véu de seus pontos de tensão e ensejando formas diferentes de olhar e viver nela. Além disso, possibilita a produção de conhecimento e o registro, tão caros às instituições que trabalham com preservação de memórias.

Confira a programação:

11h – Diálogos no Museu: Desenvolvimento de São Paulo (conversando sobre o acervo do MCSP)

Abrindo a programação, o museu trouxe dois estudiosos que se propuseram a analisar os acervos da instituição, para apresentá-la e despertar no público a vontade de conhecer um pouco mais sobre ela. Beatriz Cavalcanti de Arruda foi diretora do MCSP e se dedicou a olhá-lo por meio de seu acervo arquitetônico, posto que seja esta uma instituição polinucleada, composta por exemplares arquitetônicos espalhados por todas as regiões da cidade. Gustavo Racy, por sua vez, utilizou-se do acervo fotográfico, especificamente dos registros feitos Militão Augusto de Azevedo, que é considerado o primeiro fotógrafo da cidade de São Paulo e cujas fotografias são tidas como documentos oficiais da memória da cidade. É, portanto, uma oportunidade para experimentar melhor a própria cidade, por meio de seu viés histórico, que ainda pode ser acessado por meio do Museu da Cidade.

Classificação: Livre

Acessível em Libras

Duração: 120 min.

Link do evento: https://www.youtube.com/watch?v=2BDLHwTbxp0

15h – Diálogos no Museu: A Importância dos Ativos Digitais em Instituições de Guarda de Acervo

Com a pandemia de Covid-19, o mundo inteiro teve que se voltar mais às relações virtuais que presenciais, em virtude da necessidade de afastamento físico. Assim sendo, as instituições culturais viram-se obrigadas a promover conteúdos digitais para que não ficassem aliadas da dinâmica cultural da cidade, correndo o risco de serem esquecidas. Em virtude disso, o debate sobre a necessidade de se manter acervos e conteúdos digitais ganhou mais força e parece ter tornado obrigatório haver uma programação digital, diante das ações futuras dessas instituições. Para engrossar esse debate, o professor Francisco Carlos Palleta, especialista nessa área, falará sobre curadoria digital e o futuro das instituições culturais, acompanhado por Felipe Rocha, responsável pelos acervos do Museu da Pessoa e com experiência na digitalização de acervos. É uma oportunidade para começar a rever os paradigmas da difusão cultural existente na cidade.

Classificação: Livre

Acessível em Libras

Duração: 120 min.

Link do evento: https://www.youtube.com/watch?v=H-0c0tdwq9c

19h – Diálogos no Museu: A Relação da Comunidade LGBTQIA+ com o Território e a Noite da Cidade

Para além de falar sobre questões museais e artísticas, um museu de cidade tem como missão trazer lume para as questões culturais da cidade em que está inserido. Partindo do princípio que a cultura de um povo perpassa todas as suas manifestações e transformações no meio em que vive, as relações humanas, as identidades, os usos e comportamentos, as tensões e disputas são parte fundamental para se compreender o local em que se vive e são, portanto, objeto dessa tipologia de museu. É sabido também, que a cada grupo não hegemônico é dado um local específico – tanto físico quanto ideológico – dentro da cidade e, com a população LGBTQIA+ isto não é diferente. Para discutir essas relações territoriais e com a noite, desenvolvidas por essas pessoas, haverá a apresentação de Abigaill Santos, travesti, ativista LGBT+ e coordenadora do Transcidadania, o maior programa de inclusão para pessoas trans no Brasil. O Museu traz também o responsável pelo banco de dados de seu acervo, João de Pontes Junior, e a Drag Queen Misândrica. É, pois, uma oportunidade de explorar a questão LGBTQIA+ pelo viés de sua relação direta com a cidade.

Classificação: 12 anos

Acessível em Libras

Duração: 120 min.

Link do Evento: https://www.youtube.com/watch?v=YwtH9jRwj88

Fonte: Museu da Cidade de São Paulo