Cultura caipira é celebrada em exposição no Museu de Arte Sacra de Campinas

O Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas, recebe a partir de 07 de dezembro, a exposição itinerante Porta, Porteira e Portão: Modos de ‘Falarrr’ e Costumes do ‘Interiorrr’. A exposição que já passou por Campinas em 2017, volta à cidade com nova leitura, agora alicerçada na devoção e na religiosidade expressas na cultura caipira.

Versos musicais, contos e causos, culinária, estandartes votivos, imagens de santos de altares domésticos  estão entre os elementos que compõem a mostra e expressam a cultura caipira nas diversas regiões do nosso país, e que podem ser visualizados na exposição em painéis ou objetos.

“Celebramos o caipira como sinônimo de um modo de vida”, diz o museólogo Rodrigo Santos, que fez a concepção museológica e também assina a curadoria da mostra, ao lado da historiadora Renata Gava. “A intenção é despertar a memória afetiva do visitante e que cada um reencontre o caipira dentro de si”, completa Renata, responsável ainda pela pesquisa de conteúdo.

A mostra ainda traz expressões da tradição oral caipira, entre as quais: de banda (de lado), enfezado (nervoso), estorvá (atrapalhar), fuá (encrenca), lonjura (distância), nóis fumo (nós fomos) e zóio (olhos). Uma tela em branco instiga: “quais expressões, simpatias e ditos populares você conhece?”. Nela, o visitante pode escrever o que vem à mente e, assim, contribuir para a ampliação desse dicionário caipira.

No espaço expositivo também estão músicas caipiras e sonorização ambiente para a extroversão artística de cada visitante. Monóculos, apresentarão imagens particulares da vida religiosa em Campinas. A mostra é interativa, ou seja, os visitantes podem tocar, mexer, intervir, em diversos momentos da exposição.

Para a montagem no Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas, novos elementos expográficos foram criados, além de uma instalação, que promete mexer com os sentimentos dos visitantes. A presente mostra abre as celebrações do fim de ano e do aniversário de reabertura do Museu.

Para Gabriel Amstalden, historiador do MAAS-Campinas, a iniciativa da Empresa Engenho Cultural, idealizadora da exposição, se faz muito importante pela proposta do resgate histórico e cultural de alguns costumes e tradições, que permanecem na memória afetiva das pessoas. E consequentemente se tornam representativos para que as novas gerações também tomem conhecimento, já que tais tradições permeiam a identidade cultural do interior do Estado de São Paulo, principalmente na região de Campinas.

REALIZAÇÃO

Arquidiocese de Campinas
Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas
Engenho Cultural – Assessoria e Consultoria
Apoio: Radio Brasil

HISTÓRICO

A mostra nasceu em 2016 e percorreu três museus (Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, em Piracicaba, o Museu Casarão Pau Preto, em Indaiatuba, e o Museu Gustavo Teixeira, em São Pedro), por meio da parceria entre as prefeituras de cada um dos municípios com o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) e Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari (Acam Portinari), instituições ligadas à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Em 2017, a mostra percorreu seis cidades da região administrativa de Campinas (Campinas, Santa Bárbara d´Oeste, Itapira, Atibaia, Holambra e Cordeirópolis), por meio do prêmio ProAC (Programa de Ação Cultural), da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

SERVIÇO

Porta, Porteira e Portão: Modos de ‘Falarrr’ e Costumes de ‘Interiorrr’
Período de Veiculação: 07 de dezembro de 2018 a 02 de março de 2019
Endereço: Rua Dr. José Ferreira de Camargo, 844 – Nova Campinas – Campinas/SP
Contato: 19-37903950 / maascampinas@arquidiocesecampinas.com
Visitas: de terça a sexta: 09h00 – 12h00
13h00 – 17h30
aos sábados: 09h00 – 14h30
Agendamentos de grupos e visitas noturnas: 19-37903950 – Gabriel.
Ingressos: R$ 7,00 inteira
R$ 3,50 meia-entrada (estudantes, aposentados, maiores de 60 anos e
professores).
Isenção do Valor do Ingresso: crianças até 5 anos de idade, padres e pessoas com
deficiência.

Fonte: MAAS