Com Rita Cadillac e Gretchen, Museu da Diversidade Sexual promove o bloco Será Que É? no dia 15 de fevereiro

Festividade faz parte da primeira ação deste ano da Campanha Sonhar do Mundo

No dia 15 de fevereiro, a partir das 13h30, o cruzamento das ruas Augusta e Matias Aires, em São Paulo, será palco da concentração do bloco Será Que É?, do Museu da Diversidade Sexual (MDS). Em sua 4ª edição, a festividade pré-carnavalesca é marcada por muita música, inclusão e representatividade, tendo como madrinhas as artistas Gretchen e Rita Cadillac. A tarde contará ainda com discotecagem dos DJs Alcimar, Cris Vilella e Rodrigo Borro. A condução do trio será feita por Tchaka Drag.

Esta será a primeira atividade da campanha Sonhar o Mundo em 2020. Realizada desde 2015, neste ano serão promovidas diversas ações com o intuito de fomentar a reflexão e novos olhares sobre a diversidade cultural. Com o intuito de articular os museus paulistas em torno de ações ligadas aos Direitos Humanos, dando visibilidade ao tema a partir de programação cultural, educativa e de comunicação, a campanha é uma realização do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e a Secretaria Municipal dos Direitos Humanos de São Paulo.

“Ao longo do ano teremos diversas ações relativas aos temas tratados na campanha, como direito das mulheres, direitos indígenas, direitos dos povos afrodescendentes, direitos das pessoas com deficiência, entre outros. Convidamos a todos os profissionais da área de museus a prestigiarem o bloco ‘Será Que É?’ que, além de uma festividade, é também um ato de consciência pelos direitos e pela diversidade”, afirma Davidson Kaseker, diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC-SISEM-SP).

Bloco Será Que É?

O bloco nasceu em 2017 a partir da exposição “Será que El_ é?”, realizada pelo MDS e inspirada na relação que o Carnaval sempre teve com a diversidade sexual. Criado com despretensão e pensado para ser apenas um evento comemorativo da mostra, o bloco foi sucesso de público, reunindo mais de quatro mil pessoas na região do Largo do Arouche. A partir daí, a equipe do Museu se organizou para acolher uma quantidade maior de pessoas e mover o bloco para a Rua Augusta.

“O bloco passou a ser reconhecido como um espaço de celebração à liberdade, à diversidade, ao respeito e aos direitos humanos”, diz Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual. Um dos objetivos do evento é sempre trazer figuras LGBTQI+ históricas para participar do cortejo. Já passaram pelo Será Que É? personalidades como como a drag queen Kaká di Polly, a cantora Deena Love, ex-participante do The Voice Brasil e o Esquadrão das Drags.

Neste ano, o tema Sonhar o Mundo foi utilizado pelo bloco para que o público reflita sobre a necessidade de ser quem quiser com legitimidade e viver numa frequência de respeito e liberdade consigo e com os outros. A expectativa de público no dia 15 de fevereiro é de dez mil pessoas.

SERVIÇO

Bloco Será Que É?

Dia 15 de fevereiro de 2020, sábado, a partir das 13h30

Local: Rua Augusta com a Matias Aires (concentração). Em seguida, o bloco descerá a Rua Augusta, em São Paulo.

Gratuito

Fonte: SISEM-SP e Museu da Diversidade Sexual