“Colhendo Memórias: museu e escola” é lançado no Museu da Cana, em Pontal

Projeto visa preservar patrimônio imaterial manifesto no Engenho Central e difundir a história do trabalhador rural evidenciando seu protagonismo na cadeia do setor sucroenergético

Atribuir ao trabalhador rural a prerrogativa de protagonista no cultivo da lavoura canavieira. Esse é o conceito orientador do projeto “Colhendo Memórias: museu e escola”, que será lançado no dia 22 de agosto, às 9h, no Museu da Cana em Pontal (SP). Realizado em parceria entre Comunica Relações Públicas e Museu da Cana, por meio do ProAC ICMS, patrocínio da Biosev, e apoio institucional da Prefeitura de Pontal, o projeto pretende unir cultura e educação em um esforço para preservação do patrimônio cultural imaterial acolhido no Engenho Central.

“Muitos homens e mulheres dedicaram suas vidas à colheita da cana e, apesar dos aportes tecnológicos dos últimos anos, a participação desses trabalhadores ainda é presente, impregnando seu ambiente social, dando origem à formação de um saber cultural vivo que precisa ser preservado”, afirma a proponente e produtora executiva do projeto, Maria do Carmo Silva Esteves.

O Colhendo Memórias levará a cerca de 600 crianças do 4º ano do Ensino Fundamental de escolas públicas da rede municipal de Pontal a oportunidade de saber mais sobre a “cultura caipira”, despertando nos estudantes um orgulho de pertencer a este rico ambiente rural que determina o modo de ser de nossa região. O projeto se debruça na figura do caipira de Antônio Cândido, revelada em seu livro “Parceiros do Rio Bonito. A ótica contextual usada pelo projeto será a dos moradores que habitavam a antiga colônia construída na Fazenda Engenho Central, sede do Museu da Cana.

As visitas ao Museu serão precedidas de ações educativas em sala de aula, conduzidas por professores previamente capacitados nos temas relacionados ao projeto. Nas aulas, os alunos serão apresentados à história do cultivo da cana-de-açúcar, iniciando ainda nas lavouras de café e passando pelo boia-fria ao novo perfil do trabalhador rural. Também são nas aulas que as crianças conhecerão mais sobre as festas e celebrações, como a da Companhia dos Santos Reis, que se mantêm vivas até hoje no entorno do Engenho Central.

A linguagem artística, especialmente as artes cênicas e a música, serão usadas como forma de difusão do conteúdo no dia de visitação ao Museu da Cana. As crianças serão recebidas com um cortejo e terão contato com a cultura caipira em todos os momentos, como no café da manhã ou da tarde, em que poderão provar delícias da culinária como o bolo de fubá, a rapadura e o biscoito de polvilho com erva-doce. Ainda durante a visita, os alunos terão a oportunidade de confeccionar estandartes e brincar em uma roda de ciranda.

“O Colhendo Memórias é um projeto ao mesmo tempo didático e dinâmico, que alinha muito bem a cultura e a educação. Ele atingirá não apenas as crianças que participarão das visitas, mas também seus familiares e outros alunos das escolas, reafirmando assim a representatividade do Museu e sua importância cultural”, comenta Josué Franco, secretário da Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Pontal.

Fonte: Museu da Cana