Cine MIS exibe três filmes inéditos

0.MIS foto de Ding Musa
Com entrada gratuita, sessão traz três curtas-metragens e acontece hoje, dia 14. Os filmes foram selecionados através de convocatória permanente do projeto.
 
Todo mês, o Museu da Imagem e do Som, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, abre espaço para novos talentos do cinema com o programa Cine MIS. A edição de outubro do projeto apresenta, no dia 14, três curtas-metragens selecionados por meio de convocatória Confira, abaixo, a programação:
 
ECLIPSE (dir. Marco Bernardes, 2015, 7´41´´, Digital, Cor, Ficção) Em 1978, Luzia, uma jovem ativista da esquerda católica, mantem-se reclusa. Seu amigo, Antonio, vai até sua casa ver o que se passa. Enquanto a aguarda, suas lembranças de Luzia e de suas utopias contrapõem-se às dos seus primeiros contatos com o mundo do trabalho.
Anastasia (dir. Victor Ribeiro, 2016, 15´, Blu-ray, Cor, Ficção/Experimental) O sol adormece no horizonte e a noite se revela fria. Os seres subterrâneos estão sedentos por luz. Anastasia surge por entre os portões abandonados, não sabendo exatamente como foi para ali. O medo e a curiosidade a conduzem para dentro, seu destino é obscuro.
‡ DI ‡ Pichar é Humano (dir. Bruno Rodrigres, 2016, 26´26´´, Digital, Cor, Documentário) DI#, que pensava a pichação como arte contemporânea, cravou sua caligrafia nos topos de importantes instituições artísticas e prédios emblemáticos da cidade de São Paulo como a Bienal de Arte, a Mansão dos Matarazzo e o Conjunto Nacional na Av. Paulista, um dos picos mais cobiçados pelos pichadores da época. E sua ousadia e coragem não pararam por aí. Quando desceu do Conjunto, ele mesmo ligou para um jornal, se passando por um morador, e disse estar indignado com o “ato de vandalismo”. Pronto: #DI# entrou para a história com o acontecimento mais conhecido pelos pichadores de São Paulo.   Completando seus feitos inimagináveis, #DI# construiu e instalou uma escultura de concreto em frente ao obelisco do Parque Ibirapuera e escreveu uma carta ao Governador da época, confundindo os jornalistas.  Falecido em 1997, aos 22 anos, #DI# deixou seu legado para a cidade e para a história da arte eternizando a modalidade de prédio dentro da pichação.também fazemos história, porém agora com o protagonismo da cultura popular que ele representa, onde desenvolveu estratégias expandindo a expressão urbana para alcançar tal escala.
 
A sessão acontece às 20h, com entrada gratuita, no Auditório MIS (172 lugares). Para participar da convocatória do Cine MIS, basta acessar o site do museu e efetuar a inscrição gratuitamente: www.mis-sp.org.br.
 

 

Serviço
CINE MIS
Data 14 de outubro, às 20h
Local Auditório MIS (172 lugares)
Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa
Ingresso gratuito (sujeito a lotação da sala – retirada de ingressos com uma hora de antecedência da recepção)
Classificação livre

                                                                                                

 
Fonte: Assessoria de imprensa – SEC
Imagem: Foto de Ding Musa