Casa Museu Ema Klabin abre edital para Programa Jardim Imaginário

Desde 2013, a Casa Museu Ema Klabin promove o Programa Jardim Imaginário, que leva intervenções artísticas para o jardim da instituição.  Sempre com a curadoria de Gilberto Mariotti, já deixaram as suas marcas artistas como João Loureiro, Paulo Climachauska,  Marcius Galan,  Gisela Motta e Leandro Lima.

Este ano, pela primeira vez, o artista que irá criar e exibir sua obra será escolhido por edital público que será disponibilizado no site da Casa Museu Ema Klabin. Podem participar artistas, coletivos, grupos e interessados em geral, de qualquer lugar do Brasil, maiores de 18 anos.

O projeto de intervenção artística apresentado deverá ser exclusivo para o Programa Jardim Imaginário. Só serão aceitas instalações artísticas e não projetos em vídeo ou performances. O edital ficará aberto para inscrições gratuitas até 20 de agosto, no site www.emaklabin.org.br. Esta ação integra o projeto “Fundação Ema Klabin 2021: casa e museu”, patrocinado pela Klabin S.A.

Seleção

A seleção será realizada por uma comissão composta por um membro da Casa Museu Ema Klabin e dois membros externos convidados. A curadoria do Programa Jardim Imaginário será de Gilberto Mariotti.

O orçamento total da execução do projeto não poderá exceder o valor de R$ 30 mil. O selecionado também receberá cachê artístico de R$ 15 mil.

Exposição

A divulgação do contemplado será realizada no dia 06 de setembro de 2021 no site da casa museu. A produção e montagem da obra deverá ocorrer até 03 de novembro de 2021. A previsão é que a exposição ocorra de 06 de novembro a 20 de dezembro de 2021.

O Programa Jardim Imaginário tem como objetivo criar um diálogo entre a arte contemporânea, a arquitetura e o acervo da Casa Museu Ema Klabin, por meio de trabalhos inéditos cujo ponto de partida, tanto físico quanto simbólico, seja o jardim projetado por Roberto Burle Marx, na década de 50.

Conheça as edições anteriores do Programa Jardim Imaginário:

2013 – Serviço das Formigas, do artista João Loureiro – Um trem com oito vagões circulou pela Fundação Ema Klabin levando um conjunto de louça com desenhos de formigas carregando objetos diversos. O trabalho fez referência a coleção de louça imperial da Fundação Ema Klabin, com peças e serviços da Companhia das Índias produzidos para a família real portuguesa.

(https://www.youtube.com/watch?v=0LEtE_J16co )

2014 – “Trepa-trepa”, do artista Paulo Climachauska. Todos pintados em branco faziam referência ao mundo infantil com a finalidade de ligar o mundo lúdico com a arte contemporânea.

2016 “Controle Remoto”, dos artistas Gisela Motta e Leandro Lima. Trinta casinhas de passarinhos feitas em madeira, dispostas em seis fileiras de cinco casas, formando um conjunto habitacional. Dentro de cada casa era possível observar luzes e sons de vários programas de televisão.  (https://www.youtube.com/watch?v=tiwsjVIcFwU)

2017 “Penetra”, do artista Marcius Galan. Deslocado de sua função, um portão de lanças, idêntico ao portão principal da casa museu, foi disposto no jardim, convidando o público a testar suas percepções. Também foram realizadas intervenções em outras áreas da casa museu como na entrada principal e dentro do espaço expositivo, além de seu entorno.

Serviço

Programa Jardim Imaginário

Edital será disponibilizado no site www.emaklabin.org.br

Inscrições até 20 de agosto.

Fonte: Casa Museu Ema Klabin