Casa de Portinari compensa emissões de gases de efeito estufa com reflorestamento

Ações integram Projeto Museu Verde, que busca reduzir os impactos ambientais; em 2017 serão plantadas 126 mudas em Brodowski

A fim de reduzir os impactos ambientais causados pelas atividades realizadas no dia a dia, o  Museu Casa de Portinari vem desenvolvendo o Projeto Museu Verde, que, por meio de inventário das emissões de gases de efeito estufa, realiza ações de reflorestamento em Brodowski.

Segundo a gerente geral do museu, Cristiane Maria Patrici, o reflorestamento é realizado com espécies nativas da região e o plantio é feito em locais adequados, que abrangem todos os bairros do município, com a indicação da Secretaria do Meio Ambiente da Prefeitura de Brodowski.

A inciativa é promovida em parceria com a ACAM Portinari, administradora da instituição, que também desenvolve o projeto nos Museus Índia Vanuíre e Felícia Leirner/ Auditório Cláudio Santoro.

O diagnóstico do impacto causado é realizado anualmente por meio do Programa Carbon Free, que contabiliza os deslocamentos de público e funcionários, materiais de consumo, energia elétrica, produção de resíduos sólidos e consumo de água.

O resultado do inventário de 2016 apontou que para a compensação dessas emissões deverão ser plantadas 606 árvores. O Museu Casa de Portinari será responsável por 126 mudas, o Museu Índia Vanuíre por 252 e o Felícia Leirner por 228. O trabalho será executado ao longo deste ano.

Para Cristiane, o projeto é essencial para o contexto que o museu está inserido. “O Museu Casa de Portinari, assim como a figura de seu patrono, Candido Portinari, sempre esteve preocupado com as questões sociais de seu tempo, nesse sentido, possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental que contempla outras questões, garantindo uma gestão museológica que além das responsabilidades com as ações técnicas, administrativas e comunicacionais, deve pautar por um compromisso com a relevância e o seu papel fundamental com as localidades onde estão inseridos e atuam”, opina.

Viveiro de mudas 

Além do replantio, o museu também criou um viveiro com a finalidade de cultivar plantas existentes no jardim do Museu, por meio do plantio de mudas de espécies existentes no local, que, segundo Cristina, pode ser visitado pelo público. “Os visitantes podem conhecer o viveiro e as espécies que são cultivadas no local”, explica.

Cristiane explica que a iniciativa envolve o replantio de mudas, algumas delas centenárias, plantadas pela própria mãe de Portinari. “O viveiro de mudas é composto por várias espécies de flores. São variedades de roseiras e outras plantas que fazem parte do jardim do Museu”, diz a gerente.

De acordo com Cristina, as mudas não são comercializadas e a produção é apenas para o projeto de sustentabilidade do próprio jardim. “Consiste em um replantio de mudas, pois algumas variedades são muito frágeis e acabam se deteriorando com o tempo, surgindo a necessidade de serem repostas”, conclui.

Fonte: Revide | Por: Gabriela Maulim
Imagem: divulgação