Casa das Rosas promove lançamento de livro-CD do poeta Augusto de Campos

A Casa das Rosas promove, dia 16 de abril (sábado), às 18h, o lançamento do livro-CD Entredados (Editora Laranja Original), do poeta Augusto de Campos e seu filho, o músico Cid Campos. A atividade pode ser acompanhada pelo canal do YouTube do museu.

O obra registra gravações de oralizações e musicalizações de textos poéticos de Mallarmé, Augusto de Campos, Maiakóvski, Lewis Carrol, James Joyce, Gregório de Matos e Ezra Pound. Destaca-se a gravação de 1997 da leitura integral do poema “Um lance de dados”, de Mallarmé, realizada por Augusto, Haroldo de Campos (autor da tradução para o português) e Décio Pignatari.

Na mesa, comentam a obra, além de Augusto e Cid, André Vallias (autor do projeto gráfico), Carlos Adriano (autor do texto na orelha do livro) e o editor Filipe Moreau.

Os autores

Augusto de Campos: Nascido em 1931, o poeta, tradutor e ensaísta nasceu em São Paulo e formou-se em direito. Com seu irmão Haroldo de Campos e Décio Pignatari, formou o grupo Noigandres que lançou a Poesia Concreta, movimento que ganhou dimensão internacional. Publicou numerosos e importantes livros de crítica e tradução. Sua obra poética está quase toda reunida nos livros Viva Vaia (1979), Despoesia (1994), Não (2003) e Outro (2015). Em 2015, Augusto foi reconhecido com o Prêmio Pablo Neruda, em 2016 com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito Cultural e em 2017 com o Janus Pannonius Grand Prize for Poetry.

Cid Campos: músico e produtor musical. Dedica-se a projetos musicais interdisciplinares, marcados pelo experimentalismo. Sua obra está registrada em diversos CDs que associam música e tratamento sonoro à leitura de poemas, como Poesia é risco (1995) e Ouvindo Oswald (1999) — ambos em colaboração com seu pai, Augusto de Campos, No Lago do Olho (2001), Fala da Palavra (2004), Emily (2017) e os singles “TRANSBLUES 1 – Amor em Vão”(2020) e “TRANSBLUES 2 – Viajante dos Céus” (2020).. Criou também o espetáculo multimídia Poemix BR, com Arnaldo Antunes, Walter Silveira, Lenora de Barros, João Bandeira, e Grima Grimaldi.

André Vallias: designer gráfico, poeta e produtor de mídia interativa. Viveu na Alemanha, onde, movido pelas idéias do filósofo Vilém Flusser, orientou suas atividades para a mídia digital. Em 1990 foi co-curador (com Friedrich W. Block e Valeri Scherstjanoi) da exposição “Transfutur – poesia visual da União Soviética, Brasil e Países de língua alemã”. Organizou em 1992, junto com Friedrich W. Block, a primeira mostra internacional de poesia feita em computador:”p0es1e-digitale dichtkunst”. É autor de Totem, Oratorio, Heine, hein? e Bertolt Brecht:Poesia.

Carlos Adriano: cineasta e doutor em cinema pela Universidade de São Paulo, sua obra comprometidamente experimental lida com fragmentos obscuros da memória artística e cultural brasileira. Seus filmes foram vistos em festivais e mostras no Brasil, Nova York (EUA), Berlim (Alemanha), Bilbao (Espanha), Bologna (Itália), Chicago (EUA), Paris (França) e Roterdã (Holanda), entre outros. Foi bolsista da Fundação Vitae e destaque do eixo Cinema + Artes + Vídeo do 16º Videobrasil (2007). Com Bernardo Vorobow, é autor do livro Peter Kubelka: A essência do cinema (2002) e organizador de Julio Bressane: CinePoética (1995).

Filipe Moreau: formado em Letras e Arquitetura, mestre em Literatura Brasileira e doutor em História da Arquitetura. Professor, músico, desenhista e escritor, em 2016 criou a editora Laranja Original, hoje com mais de cem títulos publicados.

Fonte: Casa das Rosas