Campinas recebe mostra de Antonio Saggese com fotos da floresta amazônica

No dia 6 de julho, às 10h, a Casa de Vidro, em Campinas, recebe a mostra “Hiléia”, composta por 55 fotografias de Antonio Saggese. A exposição resulta da confluência de dois trabalhos que miram a floresta amazônica a partir da água: Hiléia e Yg, e conta com imagens que suscitam o maravilhamento do expectador perante a exuberância da natureza amazônica.

Quem visitar a mostra poderá conferir as fotografias concebidas a partir das viagens realizadas por Saggese entre 2014 e 2016 às matas e igarapés paraenses, onde o fotógrafo conseguiu capturar imagens que não se enquadram como “fotografia de natureza” nem tampouco como documentação ou denúncia.

Para conseguir capturar os momentos, Saggese colocou-se em meio à mata, em estado de receptividade integral para apreender as poderosas forças ocultas nos lugares. Nas imagens, não se contemplam as convenções da fotografia naturalista ou da pintura de paisagem, tais como linha do horizonte, pontos de fuga, foco de luz, perspectiva aérea ou atmosférica. A composição se constrói pela justaposição de elementos heterogêneos. Em diversas fotos da mostra, por exemplo, o reflexo no espelho d’água ofusca a linha divisória entre rio e céu. Em outras, de tonalidades acastanhadas ou púrpuras, o efeito pictórico prevalece sobre o efeito linear.

As fotografias foram tiradas pelo autor por meio de câmeras digitais de alta sensibilidade, modificadas para captar o infravermelho, com lentes de grande luminosidade e com sensores que alteram a profundidade, na expectativa de que essa intervenção técnica crie novas possibilidades artísticas, impossíveis com a tecnologia analógica.

A mostra foi selecionada pelo Edital de Chamada Pública para Exposições Itinerantes da ACAM Portinari realizada em parceria com o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Foi vencedora na categoria Ensaio Impresso de 2017 do Prêmio Brasil de Fotografia, ficará disponível para visitação até 10 de setembro, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h. A Casa de Vidro fica localizada no Lago do Café.

Sobre Antonio Saggese

Antonio Saggese, nascido em São Paulo, em 1950. Graduado Arquiteto pela FAU-USPsp, Mestre e Doutor em Filosofia (Estética) pela Fflch-Usp. dedica-se à fotografia desde 1969 e torna-se rapidamente profissional. Bolsista do governo italiano, vive em Milão entre 1983/84 fazendo estágios em estúdios de fotografia de móveis e design, além de cursos de aperfeicionamento. Docente no bacharelado em fotografia e na pós-graduação em fotografia do Senac, pós-graduação em fotografia da FAAP, professor convidado na ECA-USP, atualmente, realiza trabalhos em fotografia nas áreas de arquitetura, design e documentação de obras de arte, bem como perfis de empresas e relatórios anuais. Seus trabalhos foram expostos no MASP, MIS-SP, MAM-SP, Pinacoteca do Eestado, Instituto Tomie Ohtake,Sesc Pompéia, Bienal de SP, Bienal dos 500 anos, MAM-RJ, Funarte-RJ, Galeria Tempo e individuais na Galeria Diaframma e Ken Dammy em Milão. Participou da Bienal de Havana, 1996, além do Primeiro Arte-cidade, bem como da primeira seleção da coleção Pirelli Masp. Tem suas imagens na coleção do MASP, MAM-SP, MAM RJ, MIS-SP, Museu da Fotografia de Curitiba, coleção Joaquim Paiva, além de coleções particulares. Bolsa vitae em 1992, Marc Ferrez em 1986, 1996 e 2014. Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte, melhor exposição de fotografia 1988. Prêmio na I Quadrienal de Fotografia do MAM-SP. Seu trabalho pode ser visto on line no arquivo multimeios do Itaú, no site www.saggese.art.br. Livros “Antonio Saggese” , da editora Cosak Naif e “Pittoresco” pela Edusp. DVD “Noir, a noite na metrópole”, Funarte, 2015.

SISEM-SP

O Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, congrega e articula os museus paulistas, com o objetivo de promover a qualificação e o fortalecimento institucional em favor da preservação, pesquisa e difusão do acervo museológico do Estado.

ACAM Portinari

Fundada em 27 de novembro de 1996, a ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari) administra, em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, três instituições museológicas no interior pertencentes ao Governo do Estado: Museu Casa de Portinari (Brodowski), Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre (Tupã) e Museu Felícia Leirner/Auditório Claudio Santoro (Campos do Jordão). A ACAM, que tem sua sede em Brodowski, tem como principal objetivo o desenvolvimento da área cultural, particularmente a museológica, por meio das colaborações técnico-operacional e financeira. A instituição também apoia as ações do SISEM-SP (Sistema Estadual de Museus), com quem realiza importantes iniciativas, como oficinas de capacitação para museus, oficina de ensino à distância e, ainda, o Encontro Paulista de Museus.

SERVIÇO

Hiléia – Fotografias de Antonio Saggese

Quando: de 6 de julho a 10 de setembro

Visitação: de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h

Onde: Casa de Vidro, no Lago do Café (Avenida Dr. Heitor Penteado, 2.145, Campinas)

Gratuito