Biblioteca Nacional restaura “cápsula do tempo”

Uma caixa de madeira revestida internamente de chumbo foi encontrada em meio às obras na zona portuária do Rio. O material está aos cuidados do Laboratório de Restauração da Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC). Datada de agosto de 1871, a chamada “cápsula do tempo” continha um exemplar do Diário Oficial da época. Agora, nossos pesquisadores investigam o porquê.

No dia 6/6, Washington Fajardo, Secretário de Patrimônio Cultural, Intervenção Urbana, Arquitetura e Design solicitou uma visita dos pesquisadores da Coordenadoria de Preservação da FBN às obras na região do Porto do Rio. O motivo era uma “massa de papel jornal” encontrada por arqueólogos do Museu Nacional em suas escavações.
 
O material estava numa caixa de madeira na pedra fundamental das docas de Pedro II, localizadas no Parque Noronha Santos, na Praça XI, centro do Rio. “Como lá não havia qualquer condição de trabalho, pedi que a trouxessem para o nosso laboratório de restauração”, afirma Jayme Spinelli, coordenador de preservação da FBN.
 
O material passou por um processo de secagem e em meio aos fragmentos da massa de jornal, foram encontradas partes de um Diário Oficial de agosto de 1871. Numa consulta ao acervo da Biblioteca Nacional, verificou-se que tal edição não faz qualquer menção à caixa – tratando apenas de transações comerciais do governo à época.
 
A fim de tentar decifrar o mistério, Fernando Amaro, chefe do Laboratório de Restauração da FBN, sugeriu que o material fosse submetido a uma irradiação de cobalto 60. “O processo tem como objetivo eliminar uma proliferação de micro organismos e deve acontecer no Instituto de Pesquisas Nucleares, em São Paulo”, conta Spinelli. Só assim, os pesquisadores ficarão à vontade para investigar as razões que levaram à escolha do material para preservação e o seu real conteúdo.
 
Fonte: Blog da Bliblioteca Nacional