Avenida Paulista

Em cartaz no MASP a exposição coletiva, Avenida Paulista, que tomará a avenida como eixo central, abordando suas dimensões históricas, sociais, econômicas, culturais e antropológicas. Integram a mostra 17 artistas contemporâneos, que realizaram novos projetos, específicos para a exposição, sobre a avenida e seu entorno, e outros 40 artistas que já pensaram e retrataram a avenida em trabalhos passados, participando assim do núcleo iconográfico. No total, constituem a exposição cerca de 150 obras.

Compreendida no contexto do aniversário de 70 anos do MASP, que o Museu celebra em outubro deste ano, Avenida Paulista apresentará um núcleo de obras comissionadas especialmente para a exposição, e um núcleo iconográfico da Paulista, com obras existentes, que já trouxeram reflexões acerca desse espaço. Muitos desses debates permearam as discussões do seminário homônimo, realizado em 25 de junho de 2016, como parte do processo de pesquisa da mostra. Dos projetos comissionados, derivam o tom e os principais temas da exposição, que irá abordar não apenas as histórias, a paisagem e a arquitetura da avenida, mas também o seu cotidiano, como as manifestações políticas; o direito à cidade; a população em situação de rua; a gentrificação; e as questões de gênero e a sexualidade (do Parque Trianon à Parada do Orgulho LGBT). A mostra marca, assim, um desejo do MASP de se abrir para o seu entorno – a avenida Paulista, local onde está localizado desde 1968 –potencializando a transparência e a permeabilidade da arquitetura do museu, características marcantes de seu edifício.

Com mais de 120 anos e 2.800 metros de extensão, a avenida Paulista tornou-se um dos principais símbolos da cidade de São Paulo. Marcada pela pluralidade de suas ocupações e de seus públicos e pelas transformações urbanas que sofreu desde sua inauguração, a avenida é composta por múltiplas facetas. Inicialmente uma região residencial, tornou-se um importante centro comercial e financeiro, bem como um polo cultural e turístico. É palco, ainda, de diversas comemorações significativas para a cidade e o país, como a Parada do Orgulho LGBT, a corrida de São Silvestre, as festividades de títulos de futebol, os protestos e as manifestações políticas, entre outras. Atualmente, é um ponto de encontro de culturas urbanas e um local de passagem e conexão entre a periferia e o centro expandido da cidade, em que o MASP, de algum modo, é seu epicentro. Nesse contexto, pensar o MASP na avenida Paulista é refletir não somente sobre a cidade e o local em que o Museu está inserido, mas também sobre a complexidade desse lugar que carrega tantos símbolos e histórias.

Avenida Paulista acontece até o dia 28 de maio de 2017, nos 1º e 2º andares, no mezanino do 1º subsolo e na sala de vídeo no 2º subsolo do MASP. Assinam a curadoria Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, e Tomás Toledo, curador; com Amilton Mattos, etnomusicólogo; Camila Bechelany, Fernando Oliva e Luiza Proença, curadores do Museu. Um catálogo será publicado por ocasião da exposição, com imagens das obras e entrevistas com os artistas que tiveram trabalhos comissionados pelo Museu.

Serviço

AVENIDA PAULISTA

Abertura: 16 de fevereiro, 20h
Data: 17 de fevereiro a 28 de maio de 2017
Local: 1º andar, 1º subsolo, sala de vídeo no 2º subsolo e áreas externas do MASP
Endereço: Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP
Telefone: (11) 3149-5959
Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)
Ingressos: R$30,00 (entrada); R$15,00 (meia-entrada)

O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo.

AMIGO MASP tem acesso ilimitado e sem filas todos os dias em que o museu está aberto. O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita. Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$15,00 (meia-entrada). Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.

 

Fonte: Assessoria de imprensa | MASP
Imagem: divulgação | Artista: Mauro Restiffe