IBRAM realiza cadastramento virtual para Programa de Voluntários

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) realiza um cadastramento on-line para formar um banco de voluntários que tem como objetivo a mobilização de profissionais, estudantes e interessados, no que se refere aos riscos ligados à preservação do patrimônio museológico. Os voluntários poderão atuar no salvamento de bens culturais musealizados, em todo o território nacional, de forma a colaborar no enfrentamento dos problemas que exijam uma resposta organizada e imediata nos museus.

Para se inscrever é preciso ter uma conta e estar logado na plataforma Museusbr. Veja o passo a passo clicando aqui.

Os candidatos ao posto de voluntário deverão preencher uma ficha em meio eletrônico para inscrição. Após a inscrição, os candidatos serão convocados a participar de atividades de capacitação, além de integrar um programa permanente de relacionamento, onde receberão informações técnicas e notícias sobre os museus brasileiros, de forma que permaneçam constantemente atualizados sobre questões relevantes para o desenvolvimento das atividades de voluntariado.

Atualmente, o programa busca, por exemplo, profissionais para atuarem na equipe de salvamento de coleção, exclusivamente em situações de emergência em museus, com as seguintes atividades, entre outras:

Coordenação das ações de salvamento direto das coleções;

Definição dos critérios de intervenção;

Mapeamento e localização espacial das áreas atingidas, através do levantamento fotográfico e gráfico com a utilização de drone para escaneamento digital e fotografia digital, para a construção de um mapa de identificação, localização e lesões das alvenarias e elementos construtivos, e um mapa de localização das coleções, equipamentos e outros materiais considerados importantes para a recuperação;

Mapeamento das coleções por sala/ambiente, a partir do cotejamento de informações sobre o acervo (inventário, catalogação) com as plantas-baixa. O mapeamento deverá ser elaborado antes do início dos trabalhos de retirada, evitando ao máximo o risco de dissociação;

Definição dos procedimentos de transporte dos itens afetados, que inclui a escolha de equipamentos necessários (veículos especiais, embalagens provisórias etc.), buscando evitar a contaminação entre os itens, choques, compressão, deformações, quedas e vibrações excessivas durante o processo.

Definição dos locais para onde serão transportadas as peças resgatadas.

Também busca profissionais para atuarem na equipe de proteção e segurança, com as seguintes atividades, entre outras:

Organização das operações de segurança ligadas à atuação da Força-Tarefa, em especial das áreas vulneráveis e do pessoal envolvido;

Coordenação da interface com as autoridades de segurança pública (Polícia Federal, Polícia Militar, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros);

Elaboração e atualização de uma lista de todo o pessoal envolvido com as operações, de forma a manter o controle da circulação nas áreas consideradas de máxima segurança.

Fonte: Ibram